Amazonas Política

Irmão do ex-governador José Melo recebeu R$ 5,7 milhões de propina na Maus Caminhos

Levantamento feito pela Polícia Federal revela o ranking de vantagens indevidas, incluindo pagamento de propina, que 11 presos da segunda fase da operação Maus Caminhos, batizada de “Custo Político”, teriam recebido do empresário e médico Mouhamad Moustafa, desviando recursos públicos da Saúde no Amazonas. No topo da lista está o irmão do ex-governador José Melo – Evandro Melo, que foi secretário de Estado de Administração e Gestão (Sead). Segundo a PF, Evandro acumulou R$ 5,7 milhões durante o esquema.

Os levantamentos foram incluídos no inquérito produzido pelo delegado da PF e responsável pelas investigações da operação, Alexandre Teixeira, encaminhado na última terça-feira (16) ao Ministério Público Federal (MPF-AM). Ontem, o MPF informou que “ainda não há previsão para apresentar a denúncia”.

Os levantamentos foram incluídos no inquérito produzido pelo delegado da PF e responsável pelas investigações da operação, Alexandre Teixeira, encaminhado na última terça-feira (16) ao Ministério Público Federal (MPF-AM). Ontem, o MPF informou que “ainda não há previsão para apresentar a denúncia”.

Segundo a PF, Evandro Melo auxiliou Mouhamad com liberações de pagamentos desde março de 2015 até a deflagração a Maus Caminhos em setembro de 2016. Também foi verificado que o empresário teria pagado uma quantia mensal de R$ 300 mil. O esquema de propina, segundo a PF,  durou 18 meses. À pedido de Evandro, o empresário teria feito pagamentos mensais de R$ 20 mil ao Blog do Pávulo, que teriam ocorrido de abril de 2015 até a deflagração da operação Maus Caminhos, movimentando  um valor estimado pela PF em R$ 340 mil.

A matéria é da Jornalista Janina Andrade, do Jornal A Crítica.