Brasil

Advogados de Lula “jogam a toalha” e desistem de pedido de liberdade no STF

Na última segunda-feira (6), a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva desistiu oficialmente do recurso no qual solicitava que o líder petista aguardasse em liberdade enquanto os recursos de sua condenação na operação Lava Jato fossem avaliados. Na solicitação, a defesa afirmou que pediu apenas a suspensão da condenação fosse julgada, e não a questão sobre a ilegibilidade do ex-presidente.

Quando a defesa de Lula entrou com recurso na segunda turma da corte, em junho, os mesmo solicitam que o tribunal julgue apenas a concessão de liberdade e tenta evitar que o plenário avalie a questão da ilegibilidade para as eleições desse ano, porque o ex-presidente ainda pode ser beneficiado por uma liminar e disputar as eleições caso tenha a candidatura barrada.

Com a confirmação da condenação da Lava Jato em 12 anos de prisão pela segunda instância da Justiça Federal, Lula deve ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa, que o mesmo criou, que o impede da candidatura já que foi condenado pelos órgãos colegiados da Justiça.