Amazonas Política

Família de detento que estuprou e matou menina de 4 anos será indenizada por Wilson Lima

Morto no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) em janeiro de 2017, durante o massacre ocorrido no local, Errailson Ramos de Miranda foi o responsável por estuprar, estrangular e esfaquear uma criança de 4 anos, no bairro Parque Solimões, Zona Norte da capital, em 2009. A família dele será uma das contempladas com a indenização de R$ 50 mil que o candidato a governo do Amazonas, Wilson Lima (PSC), promete pagar aos familiares dos internos que perderam suas vidas na carnificina ocorrida nas unidades prisionais do Estado.

Depois de cometer o crime, Miranda abandonou o corpo da criança na casa do cachorro. Os pais da menina haviam se estabelecido em Manaus há apenas dez dias. Eles deixaram Parintins (a 420 quilômetros de Manaus) em busca de emprego na capital. No Compaj, o presidiário respondia ainda por outros três homicídios e tráfico de drogas. Dos 41 anos aos quais já havia sido condenado, ainda precisava cumprir 22.

Para o vice na chapa de Wilson Lima, o defensor público Carlos Alberto de Almeida Filho (PRTB), o Estado foi o culpado pela morte dos 64 presos nos massacres ocorridos dentro de unidades prisionais do Amazonas. Por conta disso, garantiu para às famílias dos detentos que perderam suas vidas a gorda indenização de R$ 50 mil. Já a os pais da criança brutalmente assassinada, nem condolências das autoridades receberam.