Amazonas Política

Acusada de fazer contratos ilegais pelo MPF, pode se a escolhida de Wilson Lima para comandar AmazonasTur

A ex-presidente e o ex-diretor financeiro da Empresa Estadual de Turismo do Amazonas (Amazonastur), Oreni Braga e Francisco Lopes da Silva foram denunciados pelo Ministério Público Federal (MPF) por dispensar o processo licitatório e contratar de forma direta, empresa que ia elaborar projeto executivo do Centro de Convencões do Amazonas Vasco Vasques, localizado na avenida Constantino Nery, ao lado da Arena da Amazônia, no bairro de Flores, zona Centro-Sul de Manaus.

As investigações do MPF apontaram que em meados de 2011, a Amazonastur fechou um contrato com empresa sem a presença da licitação, ou seja, de forma ilegal. Dentre os documentos presentes no contrato assinado com a empresa, consta um valor disponível de R$685,27 mil em convênios firmados com o Ministério do Turismo. O MPF pediu à Justiça Federal a prisão de Oreni Braga e Francisco Lopes pelo crime de dispensa indevida de licitação. O MPF também solicitou que os dois ex-dirigentes da Amazonastur devolvam R$1,14 Milhões em valores causados pelos danos que foram causados ao setor.

Na última quarta-feira, (7), durante o encontro nacional do PSC que aconteceu em Brasília, o presidente do partido Pastor Everaldo, tentou colocar o nome de Oreni Braga de volta a presidência da Amazonastur, mesmo sabendo que Oreni já foi denunciada pelo MPF por irregularidades durante sua gestão. O presidente do partido do governador eleito Wilson Lima ainda afirmou que o nome de Oreni Braga foi muito importantes para o turismo do Amazonas nos últimos tempos. Wilson Lima estava presente durante a reunião e não quis comentar sobre o assunto.

Candidatura frustrada

Oreni Braga foi candidata ao cargo de deputada estadual pelo PODEMOS e não conseguiu se eleger, conseguindo pouco mais de 1 mil votos, e durante sua campanha fez oposição a Wilson Lima e apoiando David Almeida (PSD). Viajou a Brasília com a intensão de encontrar um novo emprego e acabou participando da reunião do PSC, partido na qual a mesma fez oposição durante o mês de outubro.  Oreni Braga foi presidente da Amazonastur por mais ou menos 15 anos e trabalhou nos governos de Eduardo Braga (MDB), Omar Aziz (PSD) e José Melo (Pros). Sendo exonerada no ano de 2017 por Amazonino Mendes (PDT).