Brasil Poder Política

Estudiosos e ministros do STF avaliam que decisão tomada por Moro para ser ministro da justiça foi um grande erro

Intelectuais da área jurídica brasileira juntamente de ministros do STF (Supremo Tribunal Federal) avaliam que Sérgio Moro tenha dado um “tiro no pé” ao aceitar o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro para ser ministro da justiça. A decisão do magistrado deixou vários de seus colegas surpresos e indignou membros de cortes superiores pelo fato de que, Sérgio Moro vai ter que abandonar os casos em que atua, isso inclui a operação Lava Jato.

Colegas e Amigos que trabalham com Sérgio Moro afirmam que os prejuízos de tal escolha possam afetar não só  Moro e sim  toda a categoria. Os intelectuais afirmam que essa equipe que já tem Jair Bolsonaro e agora Sérgio Moro possa gerar diversos questionamentos a respeito das decisões tomadas pelo juiz federal. Um dos ministros do STF afirma que só pelo fato de Moro se aproximar de Jair Bolsonaro, reforça a ideia de que o ex-presidente Lula é um preso político e alimenta a ideia de de que Moro atuou por motivos pessoais contra os processos dos ex-presidente preso.

A defesa do ex-presidente preso Luiz Inácio Lula da Silva solicitou a nulidade dos processos conduzidos por Sérgio Moro ao ficarem tomando conhecimento do convite realizado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro. Na última quarta (31), os advogados do petista preso apresentaram alegações conclusivas no caso sobre o terreno do instituto que leva o nome do ex-presidente Lula.

Existe possibilidade de delegados da Polícia Federal trabalharem com Sérgio Moro, notícia essa que deixou toda a categoria animada, inclusive já iniciaram os trabalhos de procurar arquivos onde o novo ministro do governo Bolsonaro, onde o mesmo cita temas raros sobre a PF.  O juiz disse, por exemplo, ser a favor da instituição de um mandato para a direção-geral da corporação, mas não declarou se a escolha se daria por meio de lista tríplice.