Amazonas Política

Quadrilha se prepara para entrar no novo governo do Amazonas

O governador eleito pelo estado do Amazonas, Wilson Lima (PSC) só toma posse no dia 1 de janeiro de 2019, mas já se envolve em polêmicas, primeiro trouxe nomes citados na operação lava jato, como é o caso de Gabriel Chalita, ex-secretário de Geraldo Alckmin e Fernando Haddad, para compor sua equipe de transição. Sob forte repercussão negativa, Lima parece ter voltado atrás já que o nome de Chalita não consta entre os nomeados que irão preparar a chegada do novo Governo. Agora, fontes denunciam que empresários que atuam nos estados do Rio de Janeiro e Pará, tentam se aproveitar de favores que teriam prestado durante a campanha para fixar, também no Amazonas, um esquema de fraude em licitações.

A informação chegou através de fontes confiáveis que, inclusive, afirmam estar preparando um dossiê para denunciar o possível esquema ao MPE (Ministério Público do Estado) e no MPF (Ministério Público Federal).

Campanha

Durante sua campanha eleitoral, Wilson Lima conquistou os votos de milhares de amazonenses usando o bordão da “nova política”, mas o governador ainda nem tomou posse e já vem mostrando que de novo não tem nada, continua usando os já conhecidos métodos da “velha política”. Deixando claro mais uma vez que o Amazonas não será governado por Wilson Lima, mas sim por terceiros.

A equipe de reportagem do Observatório Manaus entrou em contato com a assessora de Wilson Lima, que informou que “Todas as medidas tomadas pelo governador Wilson Lima serão anunciadas somente no dia de sua posse”.