Amazonas Política

Ex-governador José Melo diz que não fará acordo de delação premiada

O ex-governador do Estado do Amazonas que foi caçado em 2017, José Melo (PROS), informou por meio de uma nota emitida por sua equipe jurídica que não tem interesse na possibilidade de negociar um acordo de delação premiada com Justiça Federal em que se diz respeito a operação “Maus Caminhos”.

A nota foi emitida na tarda da última quinta-feira (10), logo após a defesa do ex-governador tomar conhecimento que circulavam informações em veículos de comunicação em que José Melo e sua esposa, a ex-primeira-dama Edilene Oliveira estariam iniciando acordos sigilosos com a justiça do Amazonas.

Melo e sua esposa logo ficaram preocupados com a situação e acionaram sua equipe jurídica para esclarecer o que realmente estava acontecendo.

“Ambos colaboram com o esclarecimento dos fatos desde o início, comparecem a todos os atos processuais e cumprem de forma zelosa com todos os compromissos assumidos perante o juízo, não havendo, portanto, qualquer trabalho neste sentido, razão pela qual afirmam ser a referida noticia (delação premiada) absolutamente desprovida de fundamento”, informa a defesa na nota.

O ex-governador juntamente de sua esposa estão cumprindo prisão domiciliar após passarem cerca de quatro meses no regime fechado, ao serem presos na operação Estado de Emergência.

O MPF acusa o ex-governador de participar de atos de corrupção e desvios de dinheiro público na saúde do Amazonas. Edilene é acusada de obstrução da justiça. A defesa nega as acusações.

Leia a nota na íntegra:

“Foi noticiado que o senhor ex-governador José Melo de Oliveira e a senhora a ex-primeira-dama, Edilene Oliveira, estariam avaliando a possibilidade de colaborar com a Justiça através do instrumento conhecido como Delação Premiada. A informação não procede.”

Ambos colaboram com o esclarecimento dos fatos desde o início, comparecem a todos os atos processuais e cumprem de forma zelosa com todos os compromissos assumidos perante o juízo, não havendo, portanto, qualquer trabalho neste sentido, razão pela qual afirmam ser a referida noticia absolutamente desprovida de fundamento.
Certos da atenção.
Christhian Naranjo

Advogado”

Via: Roseane Carvalho