Amazonas Política

Após denúncias realizadas pelo Observatório, MPE vai investigar corrupção envolvendo escolhidos de Wilson Lima na Afeam

Depois da série de reportagens que a equipe do Observatório Manaus publicou sobre suposta quadrilha comandada por Alex Del Giglio, que é secretário da fazenda, e seus comparsas todos indicados pelo governador Wilson Lima (PSC) para comandar a AFEAM (Agência de Fomento do Estado do Amazonas) resulta em investigação do Ministério Público.

Dois funcionários da AFEAM estão sendo investigados pelo MPE-AM (Ministério Público do Estado do Amazonas por fraudes em operações financeiras em benefício próprio e de familiares. É investigado ainda, o enriquecimento ilícito por parte dos funcionários.

De acordo com a publicação, houve uma Notícia de Fato (Nº 039.2018.000642) que relatou fraudes em diversas operações financeiras no âmbito da Afeam, por parte dos servidores Simone Amorim Aguiar Bentes e Kirk Douglas de Lima Bentes, assim como indícios de enriquecimento ilícito dos dois investigados.

Os “documentos constantes nos autos indicam eventuais irregularidades ensejadoras de improbidade administrativa”, aponta o promotor na portaria. O Edílson requereu da Afeam, cópia integral, em mídia digital, dos procedimentos relativos a duas operações financeiras com o Hotel Amazônia Golf Resort.

E, ainda, cópias de uma operação de crédito concedida à Cooperativa dos Beneficiadores de Produtos Agroextrativistas de Amaturá. Nessa operação de crédito com a cooperativa houve financiamento de R$170.880,00 para aquisição de 854,40 hectolitros de castanha do Brasil in natura.

Foi requisitado da AFEAM, a cópia integral do processo disciplinar em que se apurou uma suposta fraude no programa “Cartão Zona Franca Verde”, envolvendo Simone e Kirk, declarações de bens firmadas pelos servidores durante a posse nos cargos que ocupam o órgão.

Além de cópia integral do procedimento relativo de duas operações com comprovantes de quitação do financiamento ou justificativa/parecer sobre eventual anistia da dívida.