Sete cidades no Amazonas entram em alerta e 13 em atenção por conta da cheia dos rios

por Alex Mendes
Sete cidades no Amazonas entram em alerta e 13 em atenção por conta da cheia dos rios

Maiss sete municípios do Baixo Rio Amazonas entraram em situação de alerta por conta da cheia nos rios do Amazonas. Outras 13 cidades do Médio Solimões entraram em atenção. os dados são da Defesa Civil e foram divulgados nesta terça-feira (4).

De acordo com a Defesa Civil, Parintins, Barreirinha, São Sebastião do Uatumã, Nhamundá, Urucará, Boa Vista do Ramos e Maués – que estavam em “Atenção” -, foram as cidades que evoluíram para situação de alerta.

Toda calha do Médio Solimões, que compreende os municípios de Coari, Fonte Boa, Uarini, Alvarães, Tefé, Jutaí, Codajás, Manacapuru, Iranduba, Anori, Anamã, Caapiranga e Manaquiri, evolui para situação de atenção.

“Estamos vivenciando o reflexo das mudanças climáticas, com chuvas acima do normal nesse primeiro trimestre de 2017 e nosso monitoramento indicou alteração nessas duas calhas, o que nos leva a adotar medidas preventivas, como o deslocamento de equipes para avaliação nos municípios em questão”, enfatizou o Secretário Adjunto do órgão Hermógenes Rabelo.

De acordo com o Centro de Monitoramento e Alerta (CEMOA), da Defesa Civil AM, com base em dados do Serviço Geológico do Brasil- CPRM, o rio Amazonas encontra-se em processo de enchente com valores próximos aos observados nos anos que ocorreram as máximas históricas. A régua fluviométrica de Parintins, por exemplo, que é o município referência do Baixo Amazonas, registrou hoje o nível de 8,02m, ultrapassando em 12 centímetros a Cota de Alerta, que é 7,90m. A cota histórica dessa cidade foi registrada em junho de 2009, com 9,38m.

Já Manacapuru, município referência do Médio Solimões, a cota de alerta é de 18,08m. Na data de hoje registrou 18,32, ultrapassando 24 centímetros da média.

BALANÇO ENCHENTE / 2017

SITUAÇÃO DE EMERGÊNCIA

    1. Guajará (calha do Juruá)
    1. Ipixuna (calha do Juruá)
    1. Eirunepé (calha do Juruá)
    1. Itamarati (calha do Juruá)

Famílias afetadas: 5.970

*SITUAÇÃO DE ALERTA

    1. Juruá (calha do Juruá)
    1. Carauari (calha do Juruá)
    1. Envira(calha do Juruá)
    1. Tabatinga (calha do Solimões)
    1. Benjamin Contant (calha do Solimões)
    1. São Paulo de Olivença (calha do Solimões)
    1. Amaturá (calha do Solimões)
    1. Santo Antônio do Iça (calha do Solimões)
    1. Tonantins (calha do Solimões)
    1. Atalaia do Norte (calha do Solimões)
    1. Parintins (calha do Baixo Amazonas)
    1. Barreirinha (calha do Baixo Amazonas)
    1. São Sebastião do Uatumã (calha do Baixo Amazonas)
    1. Nhamundá (calha do Baixo Amazonas)
    1. Urucará (calha do Baixo Amazonas)
    1. Boa Vista do Ramos (calha do Baixo Amazonas)
    1. Maués (calha do Baixo Amazonas

*SITUAÇÃO DE ATENÇÃO

    1. Coari (calha do Médio Solimões)
    1. Fonte Boa (calha do Médio Solimões)
    1. Uarini (calha do Médio Solimões)
    1. Alvarães (calha do Médio Solimões)
    1. Tefé (calha do Médio Solimões)
    1. Jutaí (calha do Médio Solimões)
    1. Codajás (calha do Médio Solimões)
    1. Manacapuru (calha do Médio Solimões)
    1. Iranduba (calha do Médio Solimões)
    1. Anori (calha do Médio Solimões)
    1. Anamã (calha do Médio Solimões)
    1. Caapiranga (calha do Médio Solimões)
    1. Manaquiri (calha do Médio Solimões)
FONTE: Portal G1/AM

Leia também