A menos de 2 meses da eleição, sogro de vice de Rebecca recebeu R$ 7,5 milhões de David Almeida

por Alex Mendes
A menos de 2 meses  da eleição, sogro de vice de Rebecca recebeu R$ 7,5 milhões de  David Almeida

 A menos de dois meses da eleição suplementar no Amazonas, a gestão do governador interino do Estado David Almeida (PSD) pagou R$ 7,5 milhões de uma desapropriação de terra de R$ 10,5 milhões aos sogros do deputado estadual e candidato a vice-governador do Estado Abdala Fraxe (PTN), que compõe a chapa encabeçada pela candidata a governadora Rebecca Garcia (PP), ‘Coragem para Renovar’. No último dia 16, David anunciou seu apoio à chapa de Rebecca e Abdala.

O pagamento foi feito a Carlos Fernando de Oliveira Andrade, técnico em engenharia civil e procurador de Hassan Ahmad Haouache e Hayat Haussimi Haouache, sogros de Abdala, conforme apurou a reportagem. Os dados dos pagamentos estão no portal de transparência do Estado. Os valores foram pagos pela Secretaria de Política Fundiária (SPF) pela desapropriação de imóvel na Avenida Dona Otília, Comunidade Campos Sales, no bairro Tarumã, zona oeste de Manaus.

O terreno foi declarado de interesse social para fins de desapropriação em 10 de abril deste ano, por decreto assinado pelo ex-governador José Melo (PROS), cassado pela Justiça Eleitoral por compra de votos. A área tem 212 mil metros quadrados e perímetro de 3.086 metros. Os pagamentos foram feitos em junho e em maio, já no governo de David Almeida.

O governo do Estado informou, ontem, que os pagamentos foram feitos “de acordo com legislação”. De acordo com nota enviada à reportagem, “todo decreto, no caso de desapropriação tem que ter a devida contrapartida financeira com devido orçamento, ou seja, o pedido do orçamento tem que ser ‘pari passu’ ao decreto e, ainda, que os pagamentos são referentes a fins de interesse social para execução de títulos definitivos de terra que beneficiam cerca de 500 famílias”.

Segundo o governo, trata-se de um processo de cinco anos atrás, concluso com parecer, na gestão do então governador Omar Aziz. “O decreto foi publicado em abril de 2017, na gestão de José Melo, e começou a ser pago no mês seguinte, na gestão de David Almeida, por uma questão de continuidade administrativa, ou seja, só foi cumprido o que a lei impõe”, diz a nota.

Quanto à relação de parentesco dos beneficiados com os R$ 7,5 milhões com o deputado Abdala e o fato do governador apoiar a chapa em que o parlamentar é candidato, o governo alegou que o fato “não foi levado em conta na efetivação dos pagamentos”. “Tanto o processo de desapropriação quanto a publicação do decreto são de gestões passadas e os pagamentos começaram antes da definição da referida chapa. Observa-se, ainda, que o Estado tem feito outros pagamentos de indenizações necessárias em processo de desapropriação na Avenida das Torres e na AM-070 (rodovia que liga Manaus a Manacapuru)”, diz a nota.

Procurado pela reportagem, pelo telefone, Abdala Fraxe se limitou a dizer que não conhece Carlos Fernando de Oliveira Andrade, desligando, em seguida, o telefone. A reportagem tentou novamente o contato com ele, sem sucesso, pois o telefone dava sinal de desligado.

 

Fonte: D24Am

Jornalista Responsável
Alex Mendes Braga
DRT 1041/AM

Leia também