Absurdo: Menina de 11 anos é morta em tiroteio em Conjunto “Minha Casa Minha Vida”

por Naief Queiroz
Absurdo: Menina de 11 anos é morta em tiroteio em Conjunto “Minha Casa Minha Vida”

Uma menina de 11 anos morreu após ser baleada no Bairro Carioca Triagem, conjunto do programa “Minha Casa, Minha Vida”, na Zona Norte do Rio. Jenifer Silene Gomes brincava na porta do bar onde os pais trabalhavam quando foi atingida. Ela chegou a ser levada pelos policiais para o Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, mas não resistiu.

Moradores da região acusam os policiais pela morte da menina e fizeram um protesto. A PM, porém, afirma que os agentes do 3º BPM (Méier) já encontraram pessoas carregando a menina ferida quando chegaram ao local, e que os policiais não efetuaram qualquer disparo durante a ocorrência.

— Eles atiraram nela, os policiais atiraram nela, ela estava brincando na porta, eles não querem saber mais de nada. Venham aqui, por favor. Nós só queremos justiça — suplicou uma moradora, que não quis se identificar.

De acordo com a instituição, policiais foram chamados ao local após uma tentativa de roubo de cargas, na rua Bergamo, e foram recebidos a tiros pelos assaltantes. Outros dois homens também foram baleados. Em um dos vídeos, é possível ouvir uma mulher gritar: “Vocês mataram uma criança”.

Nas redes sociais, outra moradora comentou: “Até onde vamos chegar? Que Deus conforte o coração da família. Triagem pede paz!”

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, Jenifer chegou ao hospital com um tiro no tórax. Os médicos tentaram reanimá-la, sem sucesso.

Durante o protesto, manifestantes interditaram ruas nos arredores da estação de metrô do bairro, que chegou a ser fechada temporariamente. O Corpo de Bombeiros confirmou que um ônibus da viação Novacap foi incendiado.V

A PM acrescentou que os agentes encontraram um homem baleado carregando uma mochila com entorpecentes e uma pistola calibre 380. Ele foi socorrido para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Engenho Novo. Ainda de acordo com a corporação, outro homem foi atingido e socorrido por moradores locais para unidade de saúde ainda desconhecida.

“Vale ressaltar que não havia operação policial na localidade e nenhum policial da unidade efetuou disparos de arma de fogo durante o episódio. Em seguida, um grupo de moradores tentou impedir o fluxo das vias da região atirando objetos e lixo nas ruas, porém foram contidos pelos policiais. A situação foi estabilizada e a circulação de veículos normalizada”, informa a nota.

A Polícia Civil informou, por volta das 15h, que nenhum registro havia sido feito ainda na Divisão de Homicídios da Capital.

Leia também