Com corte de Wilson Lima no FTI, Municípios terão apenas R$ 1 milhão para investir na saúde já falida

por admin
Com corte de Wilson Lima no FTI, Municípios terão apenas R$ 1 milhão para investir na saúde já falida

Foto: Bruno Zanardo/Secom.

Com vários gastos que o Estado do Amazonas tem como por exemplo, a Casa Civil com mais de 500 funcionários, SEDUC (Secretaria de Educação) gerando cabides de emprego, contratos firmados com a dispensa de licitação que já ultrapassam a casa de R$ 140 milhões, e o governador Wilson Lima (PSC) fez exatamente oposto do prometido durante sua campanha.

Esse discurso de cortar mais de R$ 350 milhões de verbas que seriam destinadas ao interior, está sendo questionada por muitos amazonenses, já que o governador já gastou mas de gastou R$5 Milhões com passagens e diárias, liberou R$ 6 Milhões para realização do carnaval e R$ 1 Milhão para para seus ex-patrões (A Crítica) fazer a cobertura do carnaval. Isso sem contar as contratações duvidosas realizadas sem licitação, que por sinal já virou marca registrada da atual gestão. Olha que não estamos falando dos milhões gastos para empresas que cuida de bandidos dentro dos presídios.

Enquanto Wilson Lima, gasta como quiser o dinheiro do amazonense, a população morre em hospitais, funcionários estão há meses sem receber, e agora como se não pudesse ficar pior até assalto em SPAs estão acontecendo. Mas o governador agora encontrou a solução para resolver os problemas da saúde, vai tirar dinheiro dos 62 municípios para “socorrer” a saúde.

O plano de Wilson Lima de tirar R$ 350 milhões do FTI (Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Amazonas) deu certo. Na manhã da última quarta-feira, (27), os deputados estaduais que compões a ALE-AM (Assembléia Legislativa do Estado do Amazonas) aprovaram o projeto de lei do Governo do Estado que retira a verba destinada ao interior e aplica na área da saúde.

Ou seja, foi retirado dinheiro do “primo pobre” e dado ao “primo rico”, convencendo os deputados aprovarem seu projeto imoral, que irá gerar um déficit de R$4 Milhões por município, de um total de 61, para investir em na saúde que, infelizmente, está falida.

Leia também