Amazonas Política

Josué Neto nomeia para ALE-AM esposa de deputado acusada de desviar R$ 42 milhões da MANAUSPREV

O presidente da ALE-AM (Assembléia Legislativa do Estado do Amazonas) Josué Neto (PSD) nomeou a esposa do deputado federal Sidney Leite (PSD), Danielle Vasconcelos Corrêa Lima Leite, para ser diretora de material e patrimônio da Assembléia. Danielle é acusada de desviar R$43,8 Milhões da MANAUSPREV (Fundo de Previdência de Manaus) quando foi presidente do órgão, durante a gestão de Amazonino Mendes (PDT).

O MANAUSPREV é o fundo que garante os pagamentos das aposentadorias dos servidores da Prefeitura e da Câmara Municipal de Manaus (CMM). Edson Nogueira, então presidente da MANAUSPREV afirmou que o fundo de previdência estava com um prejuízo de R$ 140 milhões em aplicações de Fundos de Investimento em Direito Creditório (FIDC) e Certificado de Depósito Bancário (CDB) do Banco BVA e mais R$ 3 milhões perdidos em CDB do Banco Rural.

Danielle Leite, então ex-presidente do órgão, contestou os valores apresentados por Nogueira e afirmou que não ia haver perdas para o MANAUSPREV. “O rombo que eles afirmam existir a cada hora é um número diferente. Era R$ 33 milhões, um de R$ 58 milhões e outro de R$ 54 milhões. Chegou até um rombo de R$ 300 milhões. Eu confesso a vocês que até hoje não consegui entender onde chegou esse valor. Eu nunca fiz aplicações em fundos podres”, disse Danielle Leite. 

Daniele Leite afirmou ter deixado o MANAUSPREV com R$ 623 milhões em caixa e defendeu os investimentos no Banco BVA mostrando documento assinado pelo auditor da Receita Federal, Narlon Nogueira, que em auditoria interna no fundo “não encontrou nenhum fato atípico relativo às aplicações realizadas pelo ManausPrev nesses Fidc fechados”.

Bens bloqueados pela Justiça

A 2ª Vara da Fazenda Pública Municipal e de Crimes Contra a Ordem Tributária, deferiu, parcialmente, o pedido de liminar em Ação Civil por Ato de Improbidade Administrativa ajuizada pelo Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE) e que determinou o bloqueio dos bens da ex-diretora-presidente do Fundo de Previdência dos Servidores Públicos de Manaus
(MANAUSPREV), Danielle Vasconcelos Corrêa Lima Leite, que atuava na administração do então prefeito de Manaus, Amazonino Mendes.

A indisponibilidade de bens foi feita no valor de R$34.830.306,55 que, segundo o MPE, corresponde ao valor do dano causado ao MANAUSPREV em decorrência irregularidades cometidas na gestão dos recursos do fundo pelas duas requeridas.