Luiz Castro descumpre acordo de reajuste salarial de 15% e professores prometem greve geral

por admin
Luiz Castro descumpre acordo de reajuste salarial de 15% e professores prometem greve geral

Foto: Reprodução

Na última quinta-feira (7), os profissionais da educação realizaram na frente da sede da SEDUC (Secretaria de Estado de Educação e Qualidade de Ensino) para reivindicar reajuste salarial de 15% da data-base da categoria, vencida no último dia 1º. No ano passado, o pedido de reajuste acabou em greve geral dos professores.

A possibilidade de novas greves do professores não está descartada, inclusive os professores saíram ontem com uma nova data marcada, que será para o próximo sábado dia 16, na assembléia-geral que poder optar por novas paralisações, a título de advertência ao governo

A categoria afirma que está acompanhando a verba do FUNDEB (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica) e está ciente de que existe dinheiro para custear o reajuste solicitado.

A ASPROM (Sindicato dos Professores e Pedagogos de Manaus), que liderou as manifestações de ontem (quinta-feira) criticou duramente o coordenador da SEDUC, Luiz Castro (REDE), que nem se deu o trabalho de pelo menos dar uma satisfação para a categoria.

De acordo com o presidente da ASPROM, Lambert Melo, a pauta de reivindicações dos professores e pedagogos deu entrada na Seduc no início de fevereiro, e Castro teria pedido um mês para analisar. Passado esse período, nada aconteceu.

Em nota a SEDUC disse:

A Secretaria de Estado de Educação (Seduc-AM) informa que a data-base dos servidores da educação será cumprida no mês de março, conforme anunciado anteriormente pelo Governo do Amazonas. Houve, por parte da Seduc-AM com os sindicatos, associações e outros movimentos independentes, um entendimento sobre a necessidade de reiniciar o diálogo com as categorias a partir do dia 15 de março por conta do período de carnaval e o tempo necessário para realização dos estudos preliminares sobre o orçamento fiscal disponível junto Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz-AM) e assim poder afirmar quais serão os percentuais atingidos. Quanto as demais reivindicações das categorias, a atual gestão da secretaria irá analisar com responsabilidade cada situação para avaliar as possibilidades de atendimento parcial e integral do que for viável ao longo do ano de 2019.

A Seduc-AM ressalta, ainda, que o Governo do Estado está aberto ao diálogo com as categorias e já teve uma conversa inicial com os representantes dos sindicatos e movimentos assim que assumiu. Além de garantir a data-base em março, a atual gestão garantiu e honrou pagamento do reajuste de 9,38% a todos os servidores da educação e o pagamento das dívidas do plano de saúde para evitar o cancelamento do serviço.

Com informações de: BNC

Leia também