Amazonas Política

Omissão do Governo de Wilson Lima tira vidas de 15 crianças no Amazonas

A saúde no Amazonas foi destaque nacional nesta terça-feira (9), quando o jornal Bom Dia Brasil (Rede Globo) denunciou a morte de 15 recém-nascidos em 2019, após espera em fila de cirurgia cardíaca. Ao todo, atualmente, 255 crianças aguardam pelo procedimento.

Leia mais: Quinze crianças já morreram à espera de cirurgia do coração no hospital Francisca Mendes

No Amazonas, o único hospital habilitado para realizar as cirurgias cardíacas é o Francisca Mendes (Cidade Nova, Zona Norte). A unidade conta com cinco salas disponíveis, mas apenas três estão aptas para a realização do procedimento. Além disso, a falta de remédios e equipamentos também colaboraram para que as crianças venham à óbito. O deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) cobrou ações enérgicas do governo do Amazonas em sanar o problema. “O governo do Amazonas precisa ter compromisso para resolver os principais problemas da saúde, pois em 100 dias de gestão o caos foi instalado. Não é possível uma gestão ausente e insensível ao caos na saúde, são crianças morrendo, mães e pais perdendo seus filhos, famílias sofrendo. Afinal, morrer todo mundo morre, é chegado o momento para todos, mas por falta de insumo, medicamento, de aparelhos, aí é negligência. Não tem outro nome e a postura tem que ser firme e de austeridade diante de tantos desastres”, declarou.

Leia mais: Sem estrutura para cirurgias, hospital Francisca Mendes deixa pacientes cardíacos em situação de risco

Diante dos vários casos de mortes, o Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), entrou com uma ação civil pública no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) para que todos os leitos de UTI do Francisca Mendes possam ser equipados em caráter de urgência. “Foram 15 mortes e mais três na última semana, segundo a reportagem, e não se pode ficar com os braços cruzados”, alertou.

Leia mais: Grupo de médicos do Francisca Mendes denunciam que estão há 4 meses sem salários