Amazonas Política

Professores vão às ruas para cobrar reajuste real de Wilson Lima

Revoltados com o governador Wilson Lima, os trabalhadores da Educação do Amazonas decidiram pela instalação da greve no estado, durante manifestação realizada na manhã desta segunda-feira, 15, em frete à sede do governo, na Avenida Brasil, bairro Compensa, Zona Oeste. Segundo os servidores, a opção foi tomada não por vontade, mas sim devido à postura intransigente de Wilson Lima ao persistir em não apresentar uma contraproposta de reajuste real para a categoria.

Os trabalhadores pedem 15% de reajuste, enquanto que o governo não quer conceder mais que 3,9%. A promessa do governador durante a campanha eleitoral, de acordo com os servidores, era de que não seria necessário os professores realizarem greve. “Queremos que ele mostre que tem palavra oferecendo um reajuste real para nós não entrarmos em greve. O que ele falou em campanha era mentira”, disse uma professora.

Outro motivo de revolta da categoria diz respeito à decisão do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) de proibir a instalação da greve por parte do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam). Para membros do Sindicato dos Professores e Pedagogos das Escolas Públicas do Ensino Básico de Manaus (Asprom Sindical), a decisão do tribunal representa um desrespeito com os professores que estão sendo atingidos pela injustiça do poder judiciário e também do governo do Amazonas.