Brasil Política

Líder de Bolsonaro diz que manifestantes eram “fumadores de maconha”

 Integrantes do PSL buscaram endossar as críticas do presidente Jair Bolsonaro aos protestos que se espalharam por todo o país contra os cortes do governo na educação. As falas mais duras vieram, principalmente, do líder do PSL na Câmara, Delegado Waldir (PSL-GO), e da líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP).

Questionado sobre as paralisações, Waldir chamou os participantes do movimento de “baderneiros” e “fumadores de maconha”. “Por que querem parar? Hoje é feriado? O que acontece é que as pessoas não estão acostumadas com as palavras firmes e duras do presidente. As pessoas são manipuladas, é uma minoria”, disse Delegado Waldir, o líder do PSL na Câmara.

Joice Hasselmann, a líder do governo no Congresso, afirmou que o presidente “nunca compactuou com esse tipo de manifestação ideológica, barulhenta e com muito pouca produtividade”.

“Não tem como fazer diálogo com gente que está na rua gritando, esperneando, xingando o governo. Isso não é diálogo, é baderna”, declarou a deputada.