Mulher é presa suspeita de aplicar golpes com dados de clientes de agência de turismo em Manaus

por Naief Queiroz
Mulher é presa suspeita de aplicar golpes com dados de clientes de agência de turismo em Manaus

Uma ex-funcionária de uma agência de turismo de Manaus, de 34 anos, foi presa na terça-feira (14) por suspeita de utilizar dados pessoais de clientes da empresa em que trabalhava para cometer crimes de estelionato e falsificação de documento público. A suspeita foi presa em cumprimento de mandado de prisão preventiva na residência da mulher, no bairro Praça 14, Zona Sul da capital.

De acordo com o delegado adjunto da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), Demetrius Queiroz, a mulher estava sendo procurada por furto qualificado, mediante fraude, estelionato e falsificação de documento público. O mandado de prisão preventiva em nome da suspeita foi expedido pelo juiz Henrique Veiga, da 9ª Vara Criminal de Manaus.

“Ela trabalhava em uma agência de viagens e tinha acesso aos dados dos clientes. Com isso, aplicava golpes por meio de pacotes de viagens para destinos, como por exemplo, Estados Unidos da América (EUA) e Europa, dentre outros que tinham valores mais altos”, informou Queiroz.

O delegado adjunto da especializada informou que os clientes lesados passaram a receber cobranças e tiveram os nomes negativados, mesmo comprovando que não tinham comprado pacotes de viagens da agência onde a mulher trabalhava.

O delegado titular da unidade, Guilherme Torres, disse que quando tomaram conhecimento das compras ilícitas, os clientes passaram a cobrar a agência e a registrarem os Boletins de Ocorrência (BOs). Ao todo, foram formalizadas 24 ocorrências dessa natureza em nome da infratora.

“A agência teve um prejuízo estimado, até o momento, de R$ 149 mil, passando a negociar com os clientes e, também, a responder diversas ações de indenização por danos. Vale ressaltar que Carolina não trabalha mais no local. Ela abriu uma agência própria para continuar aplicando os golpes”, destacou Torres.

A mulher foi indiciada por furto qualificado, mediante fraude, estelionato e falsificação de documento público. Ela será encaminhada ao Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), situado no Km 8 da rodovia federal BR-174, onde irá ficar à disposição da Justiça.

Leia também