Bolsonaro critica soltura de assassinos de sargento da PM do Amazonas

por Naief Queiroz

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) criticou a soltura dos três envolvidos na morte do sargento da Polícia Militar Luiz Carlos da Silva Costa, de 54 anos, após Audiência de Custódia na tarde de sexta-feira (21). Entretanto, neste sábado (22), a justiça voltou atrás e decretou a prisão preventiva dos criminosos.

Joelson Ferreira Soares, 23, Josué Ferreira Soares,19 , Marclei Morais de Souza, 20 e Charles Sanches Morais, 27, agora são considerados foragidos. O crime aconteceu na quarta-feira (19), na Grande Circular, na Zona Leste de Manaus. O PM estava trabalhando como vigilante no momento do assassinato.

Através de uma rede social, neste sábado, o presidente Jair Bolsonaro compartilhou um vídeo do momento da soltura do trio e criticou a decisão do Tribunal em liberar  Marclei, Joelson e Charles.

“Marginais que executaram o Sgt Luís Carlos da Silva Castro, da PM do Amazonas, com 10 tiros, sendo 8 nas costas, saem pela porta da frente da delegacia, após serem ouvidos em Audiência de Custódia”, escreveu o presidente.

Ele comenta que o filho, Eduardo Bolsonaro, apresentou um projeto para acabar com as audiências de custódia. ”Em 2016, Eduardo Bolsonaro apresentou PDC para sustar a Resolução do CNJ que criou as Audiência”, disse.

Confira abaixo a publicação, na integra, feita pelo presidente Jair Bolsonaro, em uma rede social, onde o mesmo é um membro regularmente ativo.

Bolsonaro, através de rede social, se manifesta sobre o assassinato ocorrido em Manaus
Bolsonaro, através de rede social, se manifesta sobre o assassinato ocorrido em Manaus | Foto: Reprodução

Relembre o Caso

Luiz Carlos da Silva Costa, de 56 anos, morreu a tiros em frente à loja TV Lar, na última quarta-feira (19), localizada na avenida Autaz Mirim (Grande Circular), Zona Leste de Manaus. De acordo com testemunhas, a vítima era segurança da loja. 

Conforme um policial da 14ª  Companhia Interativa Comunitária (Cicom), que preferiu não revelar a identidade, o crime ocorreu por volta das 18h30. O policial afirma que três homens armados invadiram o local e deram voz de assalto. “Após a reação do segurança eles efetuaram os disparos”, contou o policial.

Leia também