MP vai apurar se David Almeida participou de fraudes da Suhab

por admin
MP vai apurar se David Almeida participou de fraudes da Suhab

O coordenador do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), promotor de justiça Reinaldo Nery, informou que, com a Operação Brilhante, foram encontrados indícios dos crimes de tráfico de influência e fraude. Além disso, houve dispensa indevida de licitações na contratação, no valor de R$ 5 bilhões, da empresa Ezo Soluções Interativas, de Minas Gerais, pela Suhab (Superintendência de Habitação do Amazonas). O contrato foi firmado durante a gestão do governador David Almeida, em 2017.

No entanto, o promotor de justiça do MP, Cláudio Tanajura, informou que ainda não há elementos para provar que o governo do Amazonas da época sabia ou gerenciava a transação.

As equipes do Gaeco e da Polícia Civil apreenderam documentos, computadores portáteis, smartphones e tablets, com o coronel PM Nilson Cardoso, o advogado José Júlio César Corrêa e Leandro Carlos Spener. Todos eles ocuparam o cargo de diretor na Suhab. O material apreendido vai passar por análise pericial para a verificar a participação de novos integrantes do esquema.

O contrato previa a prestação de serviços de recuperação de valores junto à carteira do FCVS (Fundo de Compensação de Variações Salariais) indicando patente nulidade da contratação, entretanto, a Caixa Econômica manifestou que não há qualquer direito a crédito no referido caso para a Suhab e o Estado do Amazonas e, ainda assim, mesmo sem qualquer resultado eficaz, a empresa se considera credora do Estado do Amazonas e da Suhab no valor de aproximadamente R$ 5 bilhões, devido ao contrato fraudulento.

Mais cedo, em nota, o ex-governador David Almeida negou as acusações de que sabia do esquema e afirmou que é um dos principais interessados na apuração dos fatos.

Leia também