MPF quer que agressor de Bolsonaro fique internado para tratamento

por Naief Queiroz
MPF quer que agressor de Bolsonaro fique internado para tratamento

O MPF (Ministério Público Federal) apresentou, nesta segunda-feira (10), um parecer favorável à internação compulsória para tratamento psiquiátrico do pedreiro Adélio Bispo de Oliveira, autor confesso do  ataque ao presidente Jair Bolsonaro (PSL)

A Justiça constatou que Adélio Bispo de Oliveira sofre de problemas psiquiátricos, o que o torna inimputável. Na prática, isso significa que ele não pode ser condenado pelo crime, uma vez que o réu não tem consciência sobre suas ações. Em casos como este, o suspeito deve cumprir medidas de segurança, como passar por tratamentos psicológicos.

Nesta segunda-feira, a Justiça Federal em Juiz de Fora, a 283 km de Belo Horizonte, realizou a última reunião de instrução do caso, antes de o juiz decretar a sentença. Durante o encontro, membros do MPF, os advogados de Adélio Bispo e de Bolsonaro ouviram as últimas testemunhas de acusação.

O presidente da República enviou um ofício respondendo a perguntas feitas pelo Ministério Público Federal. O conteúdo da carta não foi divulgado.

A previsão é de que o juiz responsável pela ação emita a sentença em até 10 dias. Procurado, Zanone de Oliveira Júnior, advogado de Adélio, informou que se o juiz decretar o cumprimento da medida de segurança, a defesa quer que o réu passe pelo tratamento psiquiátrico na penitenciária de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, onde ele está preso atualmente.

— Segundo o psiquiatra forense Hewdy Lobo, o presídio federal tem a estrutura necessária. Queremos isso porque o Adélio recebeu ameaças de morte quando ele estava no presídio estadual.

Leia também