Polícia prende procurado que matou rival por dívida de R$ 30 no Santo Agostinho

por Naief Queiroz
Polícia prende procurado que matou rival por dívida de R$ 30 no Santo Agostinho

A equipe policial da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros – DEHS – Anexo, sob o comando do delegado Roberto Campainha, adjunto da unidade policial, cumpriu, na última quinta-feira (08), às 10h30, o mandado de prisão preventiva, por homicídio qualificado, em nome de Wagner Melo de Souza, 21, conhecido como “Caquinho”, envolvido na morte de Alexandre da Silva Pinto. A vítima tinha 30 anos.

De acordo com autoridade policial, o crime aconteceu dia 18 de dezembro de 2016, por volta das 10h, na rua Zenon, bairro Santo Agostinho, zona oeste da capital. Segundo o delegado, além de Wagner, estão envolvidos também no homicídio, Denisson Correa dos Santos, conhecido como “Galo” e Thiago Amorim Teixeira. O delito foi motivado por dívida relacionada ao tráfico de drogas.

“Testemunhas relataram que a vítima estava devendo uma quantia de R$ 30 para Wagner, e essa dívida estaria relacionada ao tráfico de drogas. A confusão foi motivada pela falta de pagamento a Wagner. Durante o ocorrido, Thiago Amorim, que estava em posse de uma arma de fogo, efetuou diversos disparos na vítima. Após o fato, os envolvidos se evadiram do local”, disse Campainha.

Conforme o delegado, os autores agiram de maneiras diversificadas que resultou na morte da vítima. Thiago Amorim é o autor direto do homicídio, por ter efetuado os disparos contra o indefeso. Wagner e Denisson atuaram como participantes do crime, auxiliando Thiago na execução.

Denisson, que já está preso na Unidade Prisional do Puraquequara (UPP), respondendo por outro crime cometido, o de receptação, será interrogado na delegacia, pela participação no homicídio. Thiago Amorim, autor dos disparos, está foragido.

A ordem judicial em nome de Wagner foi expedida, no dia 11 de novembro de 2018, pelo juiz Celso Souza de Paula, da 1ª Vara do Tribunal do Júri.

“Cumprimos o mandado de prisão de Wagner, no prédio da especializada, onde ele foi notificado para comparecimento e, durante a oitiva foi constatado que ele tinha um mandado de prisão em aberto, momento em que foi dada a voz de prisão”, disse o delegado.

Indiciamento

Wagner foi indiciado por homicídio qualificado. Ao término dos procedimentos cabíveis, ele será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

Leia também