Após sofrer estupro coletivo, mulher é obrigada a casar com suspeito dentro de delegacia

por Naief Queiroz
Após sofrer estupro coletivo, mulher é obrigada a casar com suspeito dentro de delegacia

Uma mulher casada e mãe de três filhos que foi vítima de estupro coletivo, foi obrigada a se divorciar e casar com um dos próprios estupradores em Pabna, Bangladesh.

Como se não bastasse ser violentada, o casamento forçado ocorreu dentro de um distrito policial com o apoio de oficiais que receberam a denúncia. Segundo o jornal Daily Star, o pesadelo começou quando a vítima foi sequestrada e presa em um quarto onde passou três dias (entre 29 e 31 de agosto), sendo estuprada consecutivamente pelo menos cinco homens.

Na última segunda-feira (9), eles procurou a polícia e denunciou o crime, mas assim que os agentes tomaram conhecimento que o principal suspeito era dirigente local do governo, eles convocaram o homem e negociaram com ele.

Na própria delegacia, eles permitiram que mulher fosse coagida a assinar uma carta de divórcio e outro documento que a declarava esposa de um dos acusados. O casamento seria uma forma de impedir que as acusações fossem para a frente.

Indignado com a situação, o irmão e demais familiares da mulher decidiram denunciar o caso e após investigações, a polícia decidiu afastar os oficiais envolvidos de sua função e prenderam três suspeitos da violência, entre eles o dirigente.

O caso segue em andamento e causou revolta no país e entre ativistas dos direitos humanos que pedem a anulação do casamento e garantem que vão acompanhar o processo e dar todo o suporte à vítima e sua família.

Leia também