Felipe Neto, o empresário e youtuber que incomoda Bolsonaro

por Naief Queiroz
Felipe Neto, o empresário e youtuber que incomoda Bolsonaro

Com 34 milhões de inscritos no YouTube e quase 10 milhões de seguidores no Twitter, acumulados em nove anos de carreira, o carioca Felipe Neto, 31 anos, tem o poder de fogo de um empresário e influenciador digital que movimenta cifras milionárias – possui quatro empresas e se prepara para lançar outras duas – mas é no embate político que seu canhão

Correu o mundo sua ação de comprar e distribuir gratuitamente, em 7 de setembro, na Bienal Internacional do Livro, 14 mil volumes com temática LGBT quando o prefeito, num ato de censura, mandou recolher HQs estampadas com um beijo gay entre super-heróis.

Quem acompanha as redes sociais está acostumado à agressividade dos Bolsonaros diante dos adversários políticos, mas não vê a mesma virulência do clã contra o youtuber. Eleitos com campanhas baseadas em tuítes e WhatsApp, sabem onde pisam. Nas redes sociais, o rapaz que saiu do bairro do Engenho Novo e hoje vive em uma mansão na Barra da Tijuca é maior que o pai e os três filhos juntos. O bombardeio contra Neto chega por vias indiretas, por meio de influenciadores digitais bolsonaristas. Um deles, o deputado federal Carlos Jordy (PSL-RJ), está sendo processado por Neto. O parlamentar o acusou de ter influenciado os autores do massacre de Suzano.

Leia também