Motorista de Uber rezou de joelhos pedindo para não ser morto por assaltantes

por Naief Queiroz
Motorista de Uber rezou de joelhos pedindo para não ser morto por assaltantes

A polícia Civil apresentou na manhã desta segunda-feira (9), Felipe Gomes de Araújo, 26 anos, e João Victor da Rocha Maduro, 19 anos. A dupla é suspeita de cometer um latrocínio contra o motorista de aplicativo Higson Cavalcante Ramos, 49 anos. A apresentação foi realizada no Prédio da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), que fica no bairro Jorge Teixeira, zona leste de Manaus.

O delegado Paulo Martins, titular da DEHS, disse que o adolescente de 16 anos contou que na madrugada de terça-feira (3) Durante, Felipe e João solicitaram uma corrida, via aplicativo de celular. Higson atendeu e foi até o Bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte, pegar os passageiros. A vítima chegou ao local e assim que a dupla entrou no carro, anunciou o assalto. Eles foram no veículo com Higson até o Bairro Tarumã, Zona Oeste. Roubaram 35 reais e um celular da vítima e o colocaram no porta malas do carro.

Os suspeitos foram até o Ramal do Brasileirinho, bairro Jorge Teixeira, zona leste da capital. Tiraram a vítima do porta malas e enquanto Higson rezava de joelhos, pedindo para não ser morto, foi atingido com uma facada no peito. Ele ainda tentou fugir, mas caiu e foi morto, segundo o delegado por João Victor e pelo adolescente a facadas.

O adolescente disse em depoimento que eles mataram o motorista por ele residir próximo aos suspeitos e por medo de serem reconhecidos. Os infratores então fugiram no carro da vítima e o abandonaram no Monte das Oliveiras, bairro em que os suspeitos residem.

O corpo da vítima foi encontrado na tarde da última na sexta-feira (6) no Ramal do Brasileirinho. A polícia rastreou a chamada no aplicativo e descobriu que a irmã do adolescente teria feito o pedido. No sábado (7) o adolescente de 16 anos, foi apreendido por policiais militares. Durante procedimentos na especializada ele entregou os comparsas.

Felipe e João foram presos no último sábado (7). Nas redes sociais, imagens dos suspeitos foram divulgadas. Eles então foram a sede da DEHS se apresentar. A principio negaram o crime, mas ao serem interrogados, confessaram a participação. O mandado de prisão preventiva foi expedido no mesmo dia pela Juíza Anagali Marcon Bertazzo, do Plantão Criminal.

Felipe usava uma tornozeleira eletrônica e respondia por roubo. João Victor já tinha passagem pela polícia por tráfico de drogas. Na apresentação nesta segunda, os suspeitos falaram que o adolescente foi o autor do latrocínio e que eles pediram para não matarem o motorista. Mas o delegado Paulo Martins disse que o menor de idade e João Victor foram os autores do crime e Felipe estava dirigindo o veículo.

O adolescente vai ser internado em um centro socioeducativo. A dupla foi indiciada por latrocínio e vão ser encaminhados para o Centro de Detenção Provisória (CDPM), localizado no quilômetro 8 da BR-174, onde vão ficar à disposição da Justiça.

Leia também