Pai agride a filha que saiu para rezar

por Naief Queiroz
Pai agride a filha que saiu para rezar

Um homem de 44 anos foi preso na madrugada desta quarta-feira (11) ao agredir a filha dele, de 16 anos, depois de a menina sair de uma reza e ser encontrada desacordada e coberta por uma toalha branca.

O caso aconteceu no Bairro Parque Cuiabá, em Cuiabá, por volta de 0h30. Quando a Polícia Militar chegou ao local, acionada por testemunhas, o pai já estava controlado, mas a filha estava muito nervosa.

Conforme o boletim de ocorrência, a menina contou à polícia que estava na casa de uma família de vizinhos na companhia do namorado, de 14 anos, na mesma rua em que mora com o pai, em uma “oração de libertação”.

Durante o processo de oração, ela ficou desacordada e foi deitada no chão. Nesse momento, o pai entrou na casa e ficou fora de si. Segundo a menina, sem motivo algum ele passou a agredi-la, arrastando-a no chão e golpeando-a com um amassador de carne.

A adolescente ficou com lesões e hematomas nas costas e na coxa da perna esquerda. Por fim, o pai ainda teria enforcado a filha e a puxado pelos cabelos.

As pessoas que estavam na casa ficaram sem reação e completamente surpresas com a situação. Até que o namorado da vítima e uma amiga dela intervieram e seguraram o pai, que começou a ameaçar a filha e a pedir que a polícia fosse acionada.

Os policiais, então, questionaram o pai e ouviram a versão dele sobre o ocorrido. Segundo o relato dele, a filha pediu para ir a um grupo de oração, mas não retornou no horário combinado.

Ele, então, viu que a casa em que ela estava tinha as luzes apagadas. Ele bateu palmas e uma pessoa acendeu a luz e permitiu que ele entrasse. Assim que entrou, ele encontrou a filha deitada, desacordada, coberta com uma toalha branca, “como se o local fosse alguma seita religiosa”, consta no boletim de ocorrência.

Ele disse ter estranhado a situação – já que sua filha adolescente estava deitada e rodeada por maiores de idade – e ter perdido o controle com a filha, passando a agredi-la.

O pai tentou se justificar, ainda, dizendo que a filha já teve problemas anteriores de indisciplina e falta de respeito, e inclusive tinha sido devolvida a ele pela mãe por problemas com o padrasto.

Os miliares foram até a casa do pai e encontraram o amassador de carne que ele utilizou para agredir a filha. Um missionário da Igreja Batista Renovação Madureira, que participava da oração, disse que eles buscavam a “cura e libertação da vítima” e que presenciou toda a agressão.

O pai foi preso e encaminhado para a Central de Flagrantes de Cuiabá acusado de lesão corporal.

Leia também