Duas freiras ficam grávidas e igreja investiga suspeita de estupros

por Naief Queiroz
Duas freiras ficam grávidas e igreja investiga suspeita de estupros

Antes de ir para a África em missão, esta freira italiana vivia em um convento em montanhas na Sicília.

A Igreja Católica iniciou uma investigação após duas freiras ficarem grávidas. As religiosas, uma italiana e a outra de Madagascar, estavam no continente africano onde realizavam trabalhos voluntários em missões.

Uma das freiras foi identificada como uma mulher de 34 anos e ela descobriu a gestação quando foi a um hospital reclamando de dores abdominais, de acordo com a agência ANSA.

A outra mulher é uma madre, nível hierárquico superior, e descobriu a gestação quando já estava avançada.

Apesar de ser originária de Madagascar, ela havia retornado da missão na África e também estava na Itália. Ela estava na cidade de Ragusa onde era a diretora de um lar de idosos quando soube da gestação avançada.

As duas mulheres já retornaram para seus lares. Uma delas voltou para sua cidade em Palermo na Itália, não foi revelado qual é o atual paradeiro da outra freira.

As freiras vão criar seus bebês em suas casas. Elas vão criar os pequenos e acredita-se que as mulheres terão que deixar a vida como freiras, elas inclusive estão sendo pressionadas para que façam isso.

Os casos geraram grande preocupação na Igreja Católica. As mulheres certamente tiveram relações sexuais, mas o que a Igreja quer descobrir é se as crianças são frutos de estupros.

O Papa Francisco já havia relato no início deste ano que diversas freiras já sofreram com casos de abuso sexual. O Papa Francisco se referiu a esta questão como “um problema muito sério que nós precisamos combater”.

Leia também