Homem é preso com fábrica de clonar cartões em Manaus

por Naief Queiroz
Homem é preso com fábrica de clonar cartões em Manaus

Cristiano Lima Martins, 34, foi preso com uma máquina de clonar cartões de créditos escondida em casa, na Avenida do Turismo, no bairro Tarumã, Zona Oeste, nessa segunda-feira (11). O acusado já é suspeito em casos de estelionatos no Nordeste e também seria ligado a uma facção criminosa no Amazonas.

Com seus golpes ele ajuda a lavar o dinheiro do tráfico.  Segundo o delegado Sinval Barroso, no momento da abordagem policial, Cristiano estava inclusive acompanhado de Luciana Uchoa, mais conhecida “Estrela”. Ela é esposa do narcotraficante Marcos Pará”, para quem Cristiano trabalha.

Em detalhes, Barroso conta que Lima apresentou um documento de identidade falso aos policiais e que durante a revista no imóvel dele, além do equipamento de alta tecnologia árabe, os policiais encontraram ainda, uma caixa com vários chips eletrônicos e dois notebooks.

O local funcionava como uma espécie de “fábrica de cartões clonados” e para viabilizar o esquema, Cristiano instalava câmeras em caixas eletrônicos e filmava a senha dos clientes para reproduzí-las nos novos cartões e assim acessar as contas bancárias deles.

Foto: Pedro Braga Júnior

A polícia ainda não sabe mensurar quantas vítimas ele pode ter feito, mas sabe que com apenas algumas operações, ele conseguia movimentar grandes quantias de dinheiro. O homem foi preso em flagrante por estelionato e uso de documento falso e deve seguir para a audiência de custódia.

Estrela também foi presa na operação, mas no caso dela a acusação é de ter violado a tornozeleira eletrônica que usava. A mulher de Pará, responde por associação ao tráfico e organização criminosa e estava no regime semiaberto, como explica o delegado:

“Ela também foi flagranteada, mas pelo crime de ter rompida a tornozeleira, o que é crime ao patrimônio público, é cum crime afiançável. Foi concedido o direito de pagar fiança, ela pagou fiança, está em liberdade. Mas nós vamos comunicar o juiz da execução penal que ela rompeu a tornozeleira e aí vamos aguardar a decisão dele, caso ele opte por regredir o sistema e ela voltar para o fechado”.

Leia também