Gêmeas de seis meses dormem desde que nasceram no interior do Pará

por Naief Queiroz

Em Redenção, no Pará, gêmeas nasceram há seis meses e desde então não acordam. A situação das irmãs intriga profissionais de saúde, que classificam o caso raro como “comatoso”, quando o paciente tem apenas reflexos primitivos e está em sono profundo. Os médicos ainda não chegaram a um diagnóstico, mas especulam que as pacientes têm um “erro inato do metabolismo”. 

Desde que nasceram, Ana Júlia e Ana Sofia ainda não respiraram sem a ajuda de aparelhos. A alimentação é feita por sonda gástrica.  Em entrevista ao G1, a médica Helena Coelho, pedriatra intesivista da UTI, explicou que o quadro de erro inato do metabolismo é quando o organismo não produz nem organiza o processo de formação das enzimas. 

“É uma doença genética que pode ter resultado de várias outras coisas, de glicose, e fatores que comprometam o metabolismo. O paciente tem o quadro neurológico afetado, comprometimento da respiração e quadro comatoso. Mas, como disse, não temos nada fechado. A gente tem que fazer exames mais específicos que não temos como fazer no nosso hospital”, disse. 

Luana Tintiliano da Silva, mãe das gêmeas, chegou a ser diagnosticada com miomas no útero durante a gravidez, além de ter sido submetida a uma cirurgia para a retirada do apêndice. Os médicos descartam qualquer relação da intervenção cirurgica com o quadro atual das crianças.  

Leia também