MP investiga falta de professores e ‘calor insuportável’ em salas da escola Solon de Lucena

por Naief Queiroz
MP investiga falta de professores e ‘calor insuportável’ em salas da escola Solon de Lucena

A promotora Renata Cintrão de Oliveira, do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPAM), abriu inquérito para investigar a ausência de professores e falta de manutenção em condicionadores de ar da Escola Estadual Solon de Lucena, localizada na avenida Constantino Nery, zona Centro-Sul de Manaus. Conforme denúncia, professores de geografia e história estão faltando as aulas e os alunos sofrem com “um calor insuportável” nas salas. 

Além destes problemas, a denúncia também cita que professores e demais docentes da escola estavam usando palavras de baixo calão (palavrões) no decorrer das aulas no Solon de Lucena. O Ministério Público esteve na escola para verificar in loco as denúncias e descartou o uso de palavras de baixo calão nas aulas, mas constatou a ausência de professores e a falta de manutenção dos condicionadores de ar. 

A promotora Renata Cintrão de Oliveira, ao determinar a abertura do Inquérito Civil, determinou o prazo de 15 dias para que a Secretaria Estadual de Educação se justifique sobre os problemas relatados na denúncia e constatados na inspeção ministerial. A portaria de abertura do inquérito foi publicada no Diário Eletrônico do MP desta segunda-feira (9). 

Confira a portaria:  

Leia também