Rede hospitalar abre 6 mil vagas de emprego incluindo Manaus

por Naief Queiroz
Rede hospitalar abre 6 mil vagas de emprego incluindo Manaus

 Para reforçar a atuação no combate à Covid-19, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserch), que gerencia hospitais universitários no Brasil, foi autorizada pelo Ministério da Economia a contratar mais de 6 mil profissionais temporários para atuar em uma das 40 unidades da rede, como o Hospital Universitário Getúlio Vargas (HUGV), em Manaus. A iniciativa se dará por edital de chamamento público, com previsão de publicação na próxima semana, contendo todas as informações pertinentes ao processo seletivo como pré-requisitos, remuneração, tempo de contratação e outras.

São previstas aproximadamente 900 vagas para médicos, 1,4 mil enfermeiros, 3 mil técnicos em enfermagem, 500 fisioterapeutas e 100 vagas para engenheiros e arquitetos, necessários para promover as mudanças estruturais exigidas para a acomodação de pacientes infectados pelo Covid-19.

Os profissionais atuarão na linha de frente de atendimento a pacientes acometidos pela doença durante o período de combate à pandemia como reforço do quadro existente ou como reposição de profissionais que se ausentaram por serem do grupo de risco, por estarem contaminados ou por quarentena por precaução devido a sintomas de gripe.

“Estamos em um momento em que temos que nos dedicar ainda mais à nossa missão de cuidar. Somos a linha de frente no combate a uma pandemia mundial e a população brasileira depende de todos nós que atuamos na área da saúde. A Rede Ebserh está fazendo a sua parte e o reforço de nosso contingente vai ao encontro das necessidades desse período tão delicado”, declarou o presidente da estatal, Oswaldo Ferreira.

As medidas estão alinhadas à Declaração de Emergência em Saúde Pública de Importância Internacional pela Organização Mundial da Saúde, à Declaração de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional do Ministério da Saúde e ao Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo novo Coronavírus.

Leia também