Botafogo caminha para três meses de salários atrasados e atletas cobram retorno a treinos

por Naief Queiroz

Se a diretoria do Botafogo finca o pé e insiste em não retornar aos treinamentos, alegando que não é hora da volta das atividades devido às mortes pelo coronavírus, os jogadores do elenco profissional passam por aperto, em função no não pagamento de salários, e internamente cobram o retorno aos trabalhos.

Segundo a reportagem apurou, alguns integrantes do plantel relatam situação de dificuldade, enquanto a diretoria caminha para o terceiro mês sem pagar nem parte dos vencimentos, já que o clube não fez acordo de redução com os jogadores.

Os atletas seguem com treinos físicos em suas casas, através de plataforma de vídeos. Até agora, não há sinais de que serão testados para a Covid-19. A dificuldade financeira para implementar o protocolo debatido entre os demais clubes do Rio seria uma das razões para o adiamento do retorno até uma situação mais controlada da doença.

Em contato com Carlos Augusto Montenegro, membro do Comitê Executivo do Futebol do Botafogo, o dirigente, que já havia sinalizado o retorno aos treinos apenas no fim de junho, ele informou que o clube vai tentar quitar parte da dívida no começo do mês.

— Estamos aguardando algumas situações. Mas estamos com dois meses em atraso agora em maio, a ideia é pagar até dia 5 ou dia 10 — explicou.

Montenegro confirmou que o Botafogo ainda não testou seu elenco, e informou que isso só será feito quando o retorno aos treinos estiver determinado.

— O Botafogo está em casa respeitando a quarentena. Não sei quando vai ser o retorno. Os testes serão nessa época.

Leia também