Garota morta temia ser sequestrada e sofria ameaças, revela família

por Naief Queiroz

Moradora do bairro da Compensa, na Zona Oeste de Manaus, a estudante Lenita Silva da Silva, de 14 anos, que foi encontrada morta no Ramal da Praia Dourada na noite deste sábado (24), estava temendo pela própria vida. Em conversa com uma amiga, ela chegou a cogitar que poderia ser sequestrada, informou os familiares da adolescente. 

“A Lenita perguntou de uma amiga se ela tinha fotos dela. A amiga disse que sim e perguntou o motivo, mas ela só falou que, se caso ela desaparecesse, era para divulgar as imagens dela e procurá-la”, contou uma irmã da vítima, que pediu anonimato. 

A família contou, ainda, que ficou sabendo dessas circunstâncias apenas depois da adolescente ter sido morta. A irmã informou  o percurso que Lenita fez antes do assassinato.Playvolume00:00/00:40d-emtempoTruvidfullScreen

“Ela esteve na casa da mãe dela, no bairro Japiim, e lá ficou até às 21h. Depois saiu e foi pegar ônibus para voltar para a casa da avó, que fica no bairro da Compensa, onde ela estava morando”, relatou a irmã. 

A família desconhece a motivo do crime. Na breve conversa que os parentes tiveram com a equipe do portal Em Tempo, eles informaram que a adolescente foi vista chegando na casa da avó e depois saindo em um carro, que não teve as características divulgadas. 

“Viram um carro indo buscar ela na frente da casa onde morava. Duas horas depois, nós ficamos sabendo que ela havia sido morta. Vimos nas redes sociais”, disse um familiar. 

O corpo da adolescente foi achado por pessoas que trafegavam no ramal da Praia Dourada. Equipes da 20ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) atenderam a ocorrência, mas não localizaram nenhum suspeito, o local é deserto e conhecido como área de “desova”.

A morte de Lenita pode ser mais um caso da guerra entre facções criminosas que acontece no bairro da Compensa. Não há informações se a adolescente era envolvida com o tráfico de drogas. 

A autoria do crime e motivações são investigadas pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Leia também