Wilson Lima paga mais de R$ 1 milhão para empresa de táxi aéreo que atuou em sua campanha

por Naief Queiroz

O governo do Amazonas vai pagar mais de R$ 1,13 milhão, segundo o Portal da Transparência, para a Rico Táxi Aéreo Ltda, por voos realizados durante o combate ao Covid-19. A mesma já prestou serviços ao governador Wilson Lima (PSC) durante a campanha eleitoral de 2017. Os proprietários da empresa já foram alvos de investigação da Polícia Federal (PF).

No total, a empresa vai receber R$ 1.133.130,60, por 94,5 horas de viagem. Conforme a Casa Militar, a aeronave EMB 120 BRASÍLIA, com capacidade para 30 pessoas, foi utilizada na ação do Comitê Intersetorial de Enfrentamento e Combate ao Covid-19.

O governo já pagou para a empresa R$ 569.852,80, em duas notas, por serviços prestados em fevereiro deste ano. Uma das notas foi no valor de R$ 191.852,80, por 16 horas de voo, em uma aeronave Brasília, e outra nota no valor de R$ 378 mil, por 21 horas de voo, em uma aeronave jato executivo.

Empresa já foi alvo da PF

A Rico Táxi Aéreo Ltda, inscrita no CNPJ nº 046.770.001-65, tem como sócios-administradores Atila Yurtsever e Metin Yurtsever. Eles foram alvos de busca e apreensão durante uma operação da Polícia Federal, em novembro do ano passado.

A operação apurava o inquérito que investigava o possível pagamento de propina e parlamentares do MDB, em troca de apoio à campanha da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), em 2014.

Leia também