Centrão dá a Bolsonaro 129 votos contra o impeachment

por Naief Queiroz

Ao intensificar suas negociações com o outrora demonizado Centrão, Jair Bolsonaro construiu uma base com 206 aliados na Câmara, ou seja, 40% do total de deputados. É um número suficiente para barrar eventual processo de impeachment ou denúncia contra o presidente, mas não para aprovar reformas sem o apoio de outros partidos. O cálculo é de reportagem do Valor Econômico desta segunda-feira 29/VI.

O líder do “Progressistas”, Arthur Lira (AL), cotado para suceder Rodrigo Maia (DEM-RJ) na presidência da Câmara, é o responsável pela construção dessa base, arregimentando 129 parlamentares de dez partidos.

Os 206 deputados de Bolsonaro se dividem da seguinte forma: 129 integrantes de partidos do Centrão, 43 parlamentares de sete partidos alinhados a Maia e 34 filiados ao PSL.

Segundo o relato de fontes ao Valor, o aumento dessa base de apoio dependerá de novas concessões do governo. Esses parlamentares avaliam que “o preço do embarque fica cada vez mais caro”. Por outro lado, o histórico do Centrão também prova que seus parlamentares podem abandonar o barco se a Presidência enfrentar uma grande crise.

É por isso que o escândalo Fabrício Queiroz/Flávio Bolsonaro continua a tirar o sono dos integrantes do Palácio do Planalto.

Leia também