Ex-servidor municipal é preso por tráfico de influência, em Manaus

por Stephane

Ismael Franklim Gonçalves, 38, foi preso em flagrante, na tarde desta quinta-feira (9), nas proximidades da sede da Subsecretaria de Habitação Fundiária (SUBHAF), no bairro Ponta Negra, zona oeste da capital, pelo crime de tráfico de influência. Segundo investigações, o infrator cobrou propina para facilitar serviços em órgãos municipais.

De acordo com o delegado titular da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd), Aldeney Goes, Ismael foi exonerado no dia 1º de junho deste ano, do cargo comissionado que ocupava na sede do Poder Executivo Municipal, mas ele continuava utilizando informações e contatos privilegiados para cobrar propina.

“O caso específico, que culminou na prisão dele, teve início quando Ismael se apresentou como servidor municipal e cobrou a quantia de R$ 2,5 mil a uma mulher que queria a atualização da inscrição pública perante a Subsecretaria de Habitação Fundiária de Manaus. O valor foi cobrado para que o infrator estabelecesse contato com servidores do órgão, e, dessa forma, agilizasse os trâmites burocráticos”, detalhou o delegado.

Ainda conforme o delegado, após receber a proposta do infrator, a mulher ficou contrariada com a conduta de Ismael, e procurou a direção do órgão para relatar o que estava se passando. Em seguida, as equipes da Derfd foram acionadas por servidores da SUBHAF e, em colaboração com os policiais civis, a mulher avisou a Ismael que entregaria o valor na sede do órgão.

Na ocasião, as equipes da Especializada montaram campana próximo ao local e, ao perceberem que, de fato, o pagamento seria efetuado, o infrator foi interceptado e recebeu voz de prisão.

O delegado destacou, também, que as investigações em torno do caso seguem em andamento, a fim de identificar se o indivíduo já havia cometido outros crimes da mesma natureza, bem como constatar a existência de comparsas no esquema de tráfico de influência.

Ismael foi autuado em flagrante por tráfico de influência. Ele será encaminhado para a Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde passará por audiência de custódia via videoconferência.

Leia também