Irmãs são baleadas durante tiroteio em Manaus

por Naief Queiroz

A guerra de facções criminosas fez duas vítimas inocentes na noite desta quarta-feira (29), no bairro da Compensa, Zona Oeste de Manaus. Duas irmãs, ambas adolescentes, de 13 e 14 anos, foram baleadas enquanto trabalhavam para ajudar a família, durante um tiroteio no beco Joaquim Cardoso. 

Conforme informações da família repassadas à polícia, as vítimas estavam trabalhando na banca de pastel da família, quando começou uma troca de tiros entre grupos rivais. As adolescentes ficaram no meio do fogo cruzado e acabaram feridas. Uma foi atingida com um tiro no peito e a outra com um tiro de raspão em um dos braços. 

As adolescentes foram socorridas pelos familiares e levadas até o Serviço de Pronto Atendimento (SPA) Joventina Dias, onde receberam os primeiros socorros. As vítimas foram transferidas para outra unidade de saúde da capital. 

O ataque que vitimou as irmãs foi o terceiro que a polícia registrou nesta quarta  em Manaus
O ataque que vitimou as irmãs foi o terceiro que a polícia registrou nesta quarta em Manaus | Foto: Daniel Landazuri

O ataque que deixou as irmãs  feridas foi o terceiro registrado na noite desta quarta, na Compensa. O bairro da Zona Oeste de Manaus transformou-se em palco de conflitos de organizações criminosas que disputam território de tráfico de drogas na capital.

Mortes 

Em um intervalo de duas horas, o bairro Compensa registrou dois crimes. O primeiro aconteceu por volta das 18h30, Antônio Felipe Carvalho de Freitas, de 23 anos, levou cinco tiros, na rua Prosperidade. Ele ainda chegou a ser socorrido, mas faleceu no SPA Joventina Dias. 

Por volta das 19h40, um homem, ainda não identificado, foi executado com quatro tiros à queima roupa, sendo dois na cabeça e dois no peito. O homicídio aconteceu na rua Manaus. 

O delegado Fábio Silva, plantonista da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), não descartou a possibilidade dos casos estarem relacionados. “É uma movimentação de guerra e por medo a população acaba não ajudando com informações, mas vamos investigar e buscar a autoria desses crimes”, disse. 

Leia também