Amargando 80% de rejeição e com a cabeça na guilhotina do STJ, Wilson Lima apela para Bolsonaro

por Naief Queiroz

Os dois governadores Wilson’s do Partido Social Cristão (PSC), são tratados de formas diferentes, mesmo acusados de crimes parecidos. Wilson do Rio de Janeiro queima como as bruxas queimaram na inquisição e foi deixado para ser devorado pelos lobos. Seu crime? Está sendo acusado de desviar dinheiro da saúde durante pandemia. Enquanto isso, o Wilson do Amazonas que amarga uma rejeição de mais de 80% da população, faz inauguração de uma ampliação e tira foto com número 1 e o número 2 de Bolsonaro. Wilson do Amazonas também responde por participar desvio de dinheiro na saúde.

Caos no Amazonas

Ignorando a tempestade que rodeia o seu mandato de governador, Wilson Lima, convidou os filhos do presidente do Brasil, Eduardo e Flávio Bolsonaro para conhecer as obras de expansão do Centro de Convenções Vasco Vasques em Manaus. Enquanto isso, falta tomógrafos nos hospitais públicos do Amazonas.

Tratamento diferenciado?

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel foi afastado e é investigado por corrupção e agora está no processo de impeachment. Wilson Lima é investigado pelo Ministério Público Federal (MPF) e Polícia Federal (PF) por fraudes em compras emergenciais para o combate a pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Mas, ultimamente, Lima tem recebido tratamento diferenciado por parte da subprocuradora responsável pela investigação no Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Investigações contra os Wilson’s

O Wilson do Rio de Janeiro foi afastado do cargo de governador e teve sua prisão solicitada pela subprocuradora Lindôra Araújo que é responsável pelas investigações no STJ. O Wilson do Amazonas foi poupado pela subprocuradora que negou o pedido de prisão preventiva. A decisão foi confirmada pelo ministro-relator, Francisco Falcão.

Operação Sangria

Na deflagração da Operação Sangria no Amazonas pelo Ministério Público Federal e Polícia Federal, a subprocuradora Lindôra Araújo escreveu na petição que o governador do Amazonas Wilson Lima tinha conhecimento sobre o esquema criminoso na saúde pública. “Os fatos ilícitos investigados têm sido praticados sob o comando e orientação do governador do estado do Amazonas, o qual detém o domínio completo e final não apenas dos atos relativos à aquisição de respiradores para enfrentamento da pandemia, mas também de todas as demais ações governamentais relacionadas à questão, no bojo das quais atos ilícitos têm sido praticados”, escreveu.

Investigações no governo

Apesar de todos os relatórios e documentos, o governador do Amazonas Wilson Lima continua atuando como se nada estivesse acontecendo e tenta se desviar a todo custo do mesmo destino do seu colega partidário e xará. Porém, as investigações continuam e dados importantes serão revelados em uma nova deflagração da operação que investiga o desvio dos recursos públicos do Amazonas.

Leia também