Laudo revela que Elias Maluco morreu por asfixia mecânica

por Naief Queiroz

A causa do morte do traficante Elias Pereira da Silva, o Elias Maluco, foi constatada no atestado de óbito como em decorrência de asfixia mecânica, enforcamento e compressão do pescoço. Seu corpo foi encontrado nesta terça-feira (22), dentro de uma cela da penitenciária de Catanduvas, no Paraná.

Nesta quarta-feira (23), o delegado responsável pelo caso, Daniel Martarelli da Costa, já hava dito que a ocorrência era tratada como “suicídio clássico”. O corpo de Elias Maluco foi encaminhado para o Cemitério Memorial do Rio de Janeiro, onde será enterrado.

Na cela onde ocorreu a morte, foram encontradas cartas escritas pelo traficante, que estava preso desde 2002. Os textos eram destinados aos seus próprios familiares. Em um dos bilhetes, Elias afirmava que não tinha mais vontade de viver.

– Nas cartas, ele não relatou o motivo do ato. Diz, basicamente, que não tinha mais vontade de viver e pediu perdão à família, dizendo que não era um ato de covardia, mas, sim, de coragem, que ele se sentia pronto para aquilo. Ele não relatou nada sobre ameaça ou motivação – relatou Martarelli para o portal UOL.

Elias Maluco ficou conhecido ao assassinar o jornalista Tim Lopes, em 2002. A condenação pelo crime aconteceu em 2005 e ele recebeu uma sentença de 28 anos e seis meses de prisão. Em 2013, o traficante foi sentenciado a mais 10 anos, sete meses e 15 dias de prisão pelo crime de lavagem de dinheiro.

Atestado de óbito de Elias Maluco Foto: Divulgação

Leia também