Líder de organização criminosa da Venezuela é preso durante a operação Centurião

por Stephane

José Jesus Figuera Alcala, 30, conhecido como ‘El Chuchu’, líder de uma organização criminosa da Venezuela, que estava escondido no Brasil, foi preso, em um condomínio de luxo onde ele morava, na Rua Capitão Mendes, bairro Caçari, em Boa Vista, na manhã de terça-feira (15), durante a operação ‘Centurião’, deflagrada pela Delegacia Especializada em Roubos e Furtos de Veículos (Derfv), em conjunto com a Polícia Federal (PF), a Divisão de Inteligência e Captura (Dicap) de Roraima e o Cuerpo de Investigaciones Científicas, Penales y Criminalísticas da Venezuela.

De acordo com o delegado titular da Derfv, Cícero Túlio, a ação teve o intuito de capturar ‘El Chuchu’, que articulava no Brasil um esquema no qual ele encomendava veículos roubados, alienados, alugados ou com restrições judiciais no Amazonas e em Roraima, para serem adulterados na Venezuela. O suspeito estava foragido há cerca de três meses, quando quatro de seus comparsas foram presos pelas autoridades venezuelanas.

“A organização criminosa liderada pelo infrator foi responsável por despachar mais de 50 veículos, frutos dos atos criminosos, para outros países da América do Sul. Esses carros, após ingressarem em solo venezuelano, passavam por um processo ilícito, no qual eram emitidos, ilegalmente, documentos junto a outros criminosos que operavam no Instituto Nacional de Transporte Terrestre daquele país, onde eram confeccionadas placas clandestinas que facilitavam a circulação livremente dos automóveis nos países do eixo Mercosul”, explicou o delegado.

No local onde ‘El Chucu’ foi preso, a polícia apreendeu um caro, modelo Ford Ka, de cor vermelha, que teria como destino a Venezuela. Durante a operação, foram apreendidos, ainda, três veículos em Tabatinga, sendo um Chevrolet Onix e um Hyundai HB20, que seriam levados para a Colômbia.

Segundo Túlio, a partir do compartilhamento de provas da PF em Tabatinga (a 1.108 quilômetros de Manaus) com a Derfv, os policiais iniciaram as investigações e identificaram a participação de criminosos que já haviam sido presos anteriormente em outra operação realizada pela Especializada.

O suspeito foi indiciado por organização criminosa, receptação qualificada, fraude processual e estelionato. Ele será levado para a Central de Recebimento e Triagem (CRT), onde permanecerá à disposição da Justiça.

Leia também