Mesários e eleitores temem contaminação nas Eleições 2020 E dizem não ao Drauzio Varella

por Naief Queiroz

No dia 15 de novembro acontecem as eleições municipais no Brasil. A pandemia do novo coronavírus provocou o adiamento de todo o calendário eleitoral de 2020 e a adoção de novas medidas de segurança sanitária. Mesmo assim há resistência para a adesão.

Mesários estão sendo convocados, mas temem participar. A peça de divulgação com o médico Drauzio Varella, por exemplo, chegou a ser alvo de críticas duras e também piadas. Ela provocou acusações de “manipulação” da população e “hipocrisia”.

Médico Drauzio Varella recebe críticas após convocar mesários voluntários
Médico Drauzio Varella recebe críticas após convocar mesários voluntários / Foto: Reprodução
Médico Drauzio Varella recebe críticas após convocar mesários voluntários
Médico Drauzio Varella recebe críticas após convocar mesários voluntários / Foto: Reprodução
Médico Drauzio Varella recebe críticas após convocar mesários voluntários
Médico Drauzio Varella recebe críticas após convocar mesários voluntários / Foto: Reprodução
Médico Drauzio Varella recebe críticas após convocar mesários voluntários
Médico Drauzio Varella recebe críticas após convocar mesários voluntários / Foto: Reprodução
Médico Drauzio Varella recebe críticas após convocar mesários voluntários
Médico Drauzio Varella recebe críticas após convocar mesários voluntários / Foto: Reprodução
Médico Drauzio Varella recebe críticas após convocar mesários voluntários
Médico Drauzio Varella recebe críticas após convocar mesários voluntários / Foto: Reprodução
Médico Drauzio Varella recebe críticas após convocar mesários voluntários
Médico Drauzio Varella recebe críticas após convocar mesários voluntários / Foto: Reprodução
Médico Drauzio Varella recebe críticas após convocar mesários voluntários
Médico Drauzio Varella recebe críticas após convocar mesários voluntários / Foto: Reprodução
  • 1 de 8

O carioca João Souza* (nome trocado a pedido do entrevistado) foi convocado pela quarta vez para participar das eleições. Desta vez, porém, afirma se sentir desconfortável e que não irá comparecer.

– Dessa vez eu não vou não! Vou pedir para não me chamarem, mas se não der eu só não apareço. Já fui três vezes e agora com coronavírus é que não vou mesmo – declarou ao Pleno.News.

Ele revelou que já teve a Covid-19 no primeiro semestre, mas que não se sente seguro porque há a suspeita de diminuição da imunidade após três meses.

– Ninguém sabe exatamente como é essa questão da redução da imunidade. Provavelmente quem pega de novo não é muito afetado, mas não sei se posso passar para outras pessoas. E não quero ter que passar por isso para ser mesário – declarou.

A autônoma Maria Soliane Gonçalves, de 40 anos, também conversou com o portal e afirmou que não seria mesária se fosse convocada, mas que não tem medo por ela mesma.

Maria Soliane Gonçalves atribui cura ao trabalho de médicos e poder de Deus Foto: Arquivo pessoal

– Não tenho medo de votar, mas eu simplesmente não voto porque nenhum candidato está merecendo. Eu conheço gente que está com medo. Acha inseguro. Eu já peguei o coronavírus e mesmo assim não seria mesária. E quem não pegou? E quem tem filho pequeno e não pode largar em casa? – indagou a paulista.

VEJA AS REGRAS

– Uso de máscara será obrigatório;
– Proibido ingerir alimentos, beber ou qualquer atividade que exija a retirada da máscara;
– Fitas demarcarão distanciamento de 1 metro entre eleitores;
– Exclusão da identificação biométrica;
– Confirmação da identificação através da assinatura no caderno de votação;
– Levar a própria caneta (do contrário, será usada a caneta coletiva);
– Eleitor é orientado a higienizar as mãos antes e depois de votar;
– Mesários receberão máscaras para trocar a cada 4 horas, face shield e álcool em gel individual;
– Eleitores e mesários que apresentarem febre nos 14 dias anteriores não devem comparecer e poderão justificar a ausência. Mesários devem notificar sua zona eleitoral.

Leia também