Deputado pede a convocação do secretário de Saúde Marcellus Campêlo

por Stephane

O deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) ingressou, nesta terça-feira (27), com o pedido de convocação do secretário de Estado de Saúde (SES-AM), Marcellus Campêlo, para prestar esclarecimentos sobre o plano de ação do governo do Amazonas para conter o novo surto do coronavírus no Estado, que voltou a registrar altos números de casos confirmados da doença. O pedido foi feito via Comissão de Saúde da Casa e anunciado durante a sessão ordinária da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM).

O pedido do parlamentar acontece após reportagem do Jornal Nacional, da TV Globo, da última segunda-feira (26), que mostrou a superlotação nos principais hospitais de Manaus, com pacientes e acompanhantes abarrotados em alas do Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, conforme denúncia do Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam). A matéria aponta, também, que a taxa de ocupação do hospital dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é de 83% entre casos suspeitos e confirmados de Covid-19, enquanto que no HPS Delphina Aziz, hospital considerado referência no combate da doença, a situação é ainda pior: 98% de leitos ocupados.

Na reportagem, o governo do Amazonas declarou que começou, nesta segunda-feira, um plano de Contingência para aumentar o número de leitos para Covid, o que para Barreto, precisa ser explicado pelo secretário Marcellus Campêlo na Casa Legislativa.

“Depois de notícias em caráter vexatório, o Governo anuncia um plano para enfrentar o novo pico de Covid. Por isso, precisamos que o secretário de saúde venha a esta Casa, em caráter de urgência, para explicar esse tal plano de contingência que começou ontem para conter o colapso do sistema”, explicou Barreto, ao criticar a falta de celeridade e planejamento do Estado, configurando mais um caos no sistema público de saúde.

“Não bastou o sofrimento imposto na primeira onda e, novamente, o mesmo governo errando com dinheiro em caixa, podendo estar oferecendo um serviço pelo menos regular. Cotas para hemodiálise, acompanhantes dormindo no chão, no papelão, pacientes com Covid no mesmo local que aqueles com outro diagnóstico. Seres humanos misturados sem nenhuma privacidade. É esse tratamento que o povo do Amazonas merece? E o governador faz cara de paisagem”, disparou Barreto.

Leia também