Governo de Wilson Lima deixou a população mais pobre segundo dados do IBGE

por Naief Queiroz

Por: Alex Braga

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou um levantamento sobre o índice da população amazonense que vive abaixo da linha da pobreza. No primeiro ano de gestão do governador Wilson Lima, em 2019, o Amazonas teve o maior aumento de pobreza do Brasil, em comparação com o ano anterior, quando 45,7% da população estava nessa condição. Por outro lado, os números do faturamento do Polo Industrial de Manaus (PIM) tiveram um aumento de 3,17% e a arrecadação do Amazonas teve crescimento de 6,1%.

Aumento da pobreza
Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostraram que, em 2019, no primeiro ano de gestão do governador do Amazonas, Wilson Lima, cerca de 47,4% da população amazonense estava abaixo da linha de pobreza. De um total de 4,1 milhões de pessoas, 1,9 milhões viviam nessa condição. Segundo o levantamento, o Amazonas é o estado que teve o percentual que mais aumentou em todo o país, em comparação com o ano anterior, quando 45,7% da população estava nessa condição.

Rendimento de R$ 20
O padrão adotado pelo estudo é a linha do Banco Mundial, estabelecida para acompanhar a evolução da pobreza global. Em termos de Poder de Paridade de Compra (PPC), essas pessoas consideradas abaixo da linha da pobreza, tinham rendimento domiciliar per capita de menos de US$ 5,5 ou R$ 20 no câmbio da época, por dia. Isso representa a média das linhas de pobreza encontradas em 15 dos países mais pobres classificados pelo consumo/renda per capita, segundo o IBGE. O rendimento mediano do Amazonas em 2019 era de R$ 475, inferior ao índice do Brasil de R$ 861 e também inferior aos rendimentos medianos da região Norte com R$ 511 e Nordeste de R$ 506, que são as que têm os menores rendimentos.

Faturamento de R$ 68,51 bilhões
Apesar do número de pessoas que viveram abaixo da linha da pobreza em 2019, o faturamento do Amazonas, continua a crescer segundo dados dos Indicadores de Desempenho do Polo Industrial, divulgados pela Suframa. De janeiro a agosto de 2020, as empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM) tiveram um aumento de 3,17% no faturamento em relação ao mesmo período de 2019, com os bens de informática liderando o crescimento. O faturamento nos primeiros oito meses deste ano foi de R$ 68,51 bilhões.

Arrecadação de R$ 7,8 bilhões
A arrecadação do Amazonas teve crescimento de 6,1%, segundo dados do Portal da Transparência do Estado, no site da Secretaria de Fazenda (Sefaz). De janeiro a maio deste ano, a arrecadação alcançou R$ 7,8 bilhões, contra R$ 7,3 bilhões em 2019. Mesmo com uma queda de R$ 114,8 milhões, em maio, com relação a maio de 2019, a receita do Estado do Amazonas, nos cinco primeiros meses do ano, foi R$ 451,7 milhões maior do que do ano passado, mesmo em meio à pandemia de Covid-19.

Fonte: D24am.

Leia também