Homem paga para ter ‘experiência completa’ com pantera negra e acaba escalpelado

por Naief Queiroz

Um homem de 50 anos ficou internado por uma semana em um hospital localizado no condado de Davie, no Estado da Flórida, nos Estados Unidos, após ter sido atacado por uma pantera negra que vive em cativeiro para exibição ao público e é ameaçada de extinção. 

Dwight Turner queria interagir com o animal e tirar algumas fotos e pagou US$ 150 (cerca de R$ 850) para ter a “experência de contato completa” com o felino.

Porém, Dasha, a pantera negra que vive no cativeiro, não gostou muito da visita e avançou com agressividade. Segundo as autoridades locais, Turner teve o couro cabeludo praticamente arrancado pelo animal e sua orelha direita foi partida ao meio.

Revoltada, a vítima entrou na Justiça contra o proprietário do espaço, Michael Poggi, por permitir o contato com uma espécie extremamente perigosa. No processo, ele também ataca o empresário por manter animais selvagens em cativeiro em condições pouco seguras. 

Ainda que Dwight tenha assinado um termo que dizia que ele estava ciente dos riscos, como supostamente todo o negócio era ilegal, o documento não teria qualquer validade.

A Animal Rights Foundation da Flórida (ARFF) emitiu um comunicado informando que esse tipo de atividade coloca em perigo tanto humanos quanto animais.

“É muito comum pessoas organizarem espaços para vender oportunidades de fotos ou outras ‘interações com animais exóticos”, disse o coordenador de campanhas da ARFF, Nick Atwood. “Tanto as pessoas quanto os animais são prejudicados quando entram em contato direto em cativeiros.”

Leia também