‘O governo está completamente perdido’, diz médica sobre pacientes com Covid nas maternidades do Amazonas

por Naief Queiroz

Um vídeo divulgado nas redes sociais neste domingo (10) mostra o desabafo da ginecologista e obstetra Ana Cristina Rebouças quanto ao recebimento de pacientes com a Covid-19 nas maternidades do Estado do Amazonas. A médica, que trabalha há 43 anos na rede estadual de saúde, alega que as unidades não têm estrutura para receber pacientes com a doença, como é o caso do Instituto da Mulher e Maternidade Dona Lindu, na zona centro-sul de Manaus.

“Estou fazendo um apelo e gostaria que esse vídeo chegasse ao presidente da República, ao Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), aos juízes, às pessoas que possam nos ajudar, porque o Governo do Estado do Amazonas e a prefeitura estão completamente equivocados, completamente perdidos nessa situação calamitosa que nós estamos vivendo. (…) A Secretaria de Saúde do Amazonas (SES-AM) está colocando em todas as maternidades do Estado todos as pacientes com Covid, sem nenhuma estrutura para isto. (…) As maternidades não têm clínico geral, não têm infectologista. O obstetra não foi treinado para isso”, disse Ana Cristina.

A médica Ana Cristina alega que as maternidades não têm estrutura para receber pacientes com Covid (Foto: Reprodução)

A médica disse que os especialistas como ela podem fazer o acompanhamento, mas que se faz necessário profissionais responsáveis pela fisioterapia, pelo serviço social, pela parte psicológica e respiratória das pacientes infectadas pelo novo coronavírus.

A ginecologista e obstetra sugeriu ainda uma intervenção do governo federal na Saúde do Amazonas. Segundo ela, a categoria está órfã, cansada e abalada emocionalmente com a segunda onda da Covid-19 no Estado. “Todos nós, médicos obstetras do Amazonas, estamos órfãos. Presidente (em referência a Jair Bolsonaro), nós precisamos, imediatamente, que o senhor faça uma intervenção federal nesse Estado. Não permita que nós, que estamos nessa linha de frente há mais de um ano, debilitados, doentes, emocionalmente acabados, continuemos sós, sem voz”, apelou.

Saiba mais:

Governo do AM propõe salário incompatível a profissionais da saúde, diz Simeam

Pacientes com Covid são atendidos em chão de SPA em Manaus; veja vídeo

Descaso
Ana Cristina também falou das condições de trabalho dos médicos no Estado do Amazonas. “Os hospitais nem alimentação adequada dão aos médicos. Isso é problema nosso, porque nós levamos todos os dias os nossos alimentos, se quisermos comer uma fruta; um lençol, para nos cobrirmos nas nossas horas de descanso, porque nós somos humanos, nós temos que ter descanso. É diferente do que a população acha, que a gente tem que ficar 24, 48, 72 horas acordados”, disse emocionada.

“Senhor presidente, nos ajude. Ajude essa profissão, ajude os médicos a não morrerem mais rápido do que já estão no Estado do Amazonas. Isso é um apelo, isso é um pedido, isso é um grito de socorro. Nos ajude”, implorou a médica.

Fonte: D24am.

Leia também