Polícia apreende 20 veículos e prende duas pessoas por despeito ao toque de recolher em Manaus

por Naief Queiroz

A polícia apreendeu 20 veículos e prendeu duas pessoas por descumprimento ao decreto de toque de recolher entre quarta-feira (20) e madrugada desta quinta (21), segundo a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM).

Por determinação do Governo do Estado, a circulação de pessoas está restrita entre 19h e 6h.

Em todo o estado, a circulação nas ruas está restrita entre 19h e 6h para impedir o avanço da Covid, que já matou mais de 6 mil pessoas. Em Manaus, o sistema de saúde entrou em colapso por falta de oxigênio nos hospitais, que estão lotados.

Foram apreendidos 13 motocicletas e sete carros. No bairro Zumbi dos Palmares, na zona leste, um homem foi detido ao tentar fugir da barreira policial.

Toque de recolher

O governador do Amazonas, Wilson Lima, anunciou decreto que proíbe a circulação de pessoas em Manaus entre 19h e 6h, depois que o estado voltou a registrar aumento de casos da Covid-19. Todas as atividades, exceto serviços essenciais para a vida, também estarão proibidos de abrir. A medida vale até 31 de janeiro.

Dentre as novas medidas de restrição contra a Covid, estão:

  • suspensão do transporte coletivo de passageiros entre rodovias e rios do estado;
  • fechamento de todas as atividades e circulação de pessoas entre 19h e 6h;
  • farmácias devem funcionar, entre 19h e 6h, por delivery ou sob demanda;
  • circulação de pessoas só será permitida, entre 19h e 6h, para quem trabalha em áreas estratégicas: saúde, segurança pública, imprensa

Sistema de saúde em colapso

Até esta terça-feira (19), mais de 233 mil pessoas foram infectadas pela Covid-19, e mais de 6,4 mil morreram com a doença no Amazonas. Os dados constam no boletim epidemiológico da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM).

O estado vive um caos no sistema de saúde com hospitais lotados. As unidades de saúde não têm oxigênio suficiente para todos os pacientes, o que fez o governo adotar medidas emergenciais para receber o insumo.

A situação é tão dramática que, desde a semana passada, o estado está enviando pacientes para receber atendimento em outros estados. O transporte dos passageiros é feito em aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB), que foram adaptadas para essa finalidade.

Leia também