Malafaia detona prefeito evangélico que fechou igrejas: ‘Politicagem’

por Naief Queiroz

O pastor Silas Malafaia se mostrou indignado com o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz, que rejeitou um projeto de lei criado pela Câmara Municipal que torna essencial a atividade religiosa na cidade. Malafaia acusou Cruz, que é membro da Igreja Universal, de querer tirar proveito político da situação.

– Ele está pensando que a liderança evangélica de Goiânia e o povo de Goiânia são idiotas para tentar tirar proveito político. Olha a incoerência. Em outros lugares, a universal pressionou e lutou para aprovar as religiões como atividade essencial, e o prefeito, membro da Universal e do partido politico da universal, dá veto. Sabe o por quê? Ele quer ser dono da brincadeira. Ele quer se apresentar como se fosse salvador da pátria, como se fosse ele que fizesse com que as religiões fossem consideradas atividade essencial – afirmou o pastor.

Malafaia também conclamou os eleitores evangélicos a não votarem mais em Cruz.

– Espero que a Câmara Municipal derrube esse veto e que o povo evangélico de Goiânia não vote num camarada desse, que pensa que a gente é idiota e quer tirar proveito político de algo que ele não fez – declarou.

https://www.youtube.com/embed/ojyKv9WWNyc?feature=oembed Conforme o Malafaia indicou, Rogério Cruz de fato editou um novo projeto de lei que torna a atividade religiosa como essencial, logo após ter vetado a proposta dos vereadores que exigia o mesmo. Em nota, a assessoria da Prefeitura de Goiânia afirmou que o texto de Cruz é diferente do editado pelos vereadores porque mantém com a prefeitura o poder de regulamentar esta nova norma.

O executivo municipal disse ainda que “compreende a importância da fé e da espiritualidade neste período pandêmico e do trabalho exercido pelos líderes religiosos das mais diferentes denominações”.

Leia também