Dragão-de-komodo invade mercado, escala prateleira e assusta clientes; veja vídeo

por Naief Queiroz

O dragão-de-komodo, uma espécie de lagarto que vive nas ilhas de Komodo, na Indonésia, viralizou, nesta terça-feira (7), em um vídeo que mostra o momento em que o lagarto invade um mercado de Bangcoc, capital da Tailândia, e, assustado, escala a prateleira do estabelecimento na intenção de fugir.

O lagarto invade um mercado de Bangcoc, capital da Tailândia, e, assustado, escala a prateleira do estabelecimento na intenção de fugir. (Foto: Reprodução)

De acordo com o jornal local a gravação foi registrada por uma mulher, identificada como Jejene Narumpa. Ainda não se sabe como o animal chegou ao local, mas ninguém ficou ferido.

Nas imagens, é possível perceber que o animal parece perdido e atordoado. Ele escala uma prateleira, derruba alguns produtos e busca abrigo na parte superior. Também é possível ouvir gritos de desespero das pessoas que presenciaram o episódio. Assista:

Dragão-de-komodo
Dragão-de-komodo ou crocodilo-da-terra (Varanus komodoensis) é uma espécie de lagarto que vive nas ilhas de Komodo, Rinca, Gili Motang, Flores e Sitio Alegre, na Indonésia. Pertence à família de lagartos-monitores Varanidae, e é a maior espécie de lagarto conhecida, chegando a atingir 40 cm de altura e 2–3 m de comprimento e até 166 kg de peso no caso dos maiores indivíduos.

O seu tamanho invulgar é atribuído a gigantismo insular, uma vez que não há outros animais carnívoros para preencher o nicho ecológico nas ilhas onde ele vive, e também ao seu baixo metabolismo.

Como resultado deste gigantismo, estes lagartos, juntamente com as bactérias simbiontes, dominam o ecossistema onde vivem. Apesar dos dragões-de-komodo comerem principalmente carniça, eles também caçam e fazem emboscadas a presas incluindo invertebrados, aves e mamíferos.

Os dragões-de-komodo foram descobertos por cientistas ocidentais em 1910. O seu grande tamanho e reputação feroz fazem deles uma exibição popular em zoológicos. Na natureza, a sua área de distribuição contraiu devida a actividades humanas e estão listadas como espécie vulnerável pela UICN. Estão protegidos pela lei da Indonésia, e um parque nacional, o Parque Nacional de Komodo, foi fundado para ajudar os esforços de protecção.

Fonte: D24am.

Leia também