Troca de mensagens de Wilson Lima comprova comando na compra superfaturada dos ventiladores pulmonares

por Naief Queiroz

Esta coluna teve acesso as mensagens trocadas pelo governador do Amazonas, Wilson Lima e um dos outros 17 denunciados junto com o chefe do Estado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) no caso da compra superfaturada dos ventiladores pulmonares em uma loja de vinhos. Para a relatora do processo, não há dúvidas de que existe uma organização criminosa instaurada na cúpula do Estado sob o comando do próprio governador. Nas mensagens, é possível acompanhar toda a artimanha de Lima para a compra dos equipamentos que desviou milhões de reais dos cofres públicos amazonense.

Ventiladores
De acordo com o relatório da PGR, após a “separação” dos ventiladores pulmonares que seriam comprados pelo Governo do Amazonas para o tratamento de pacientes com Covid-19, iniciou a “engenharia criminosa elaborada pelo grupo, com o intuito de praticar crimes contra a Administração Pública, notadamente direcionamento de licitações, superfaturamento e sobrepreço”, consta. As medidas adotadas pelo grupo, desrespeitavam às prescrições da Lei de Licitações “que visaram a inserir no contexto da contratação uma outra empresa, escolhida pelos denunciados – inclusive o Governador Wilson Lima – que serviria como mero anteparo para a majoração arbitrária dos preços e desvio dos valores: a “Vineria Adega”, ressalta.

Demanda do chefe
Segundo o depoimento dos secretários presos na deflagração da Operação Sangria pela Polícia Federal, o nome “Alencar” foi apontado por eles como o homem de confiança do governador Wilson Lima que iria participar das tratativas para a aquisição dos ventiladores pulmonares.

Ventiladores
O governador Wilson Lima publicou em suas redes sociais no dia 7 de abril de 2020 que estava recebendo 19 ventiladores pulmonares, no qual o processo de licitação ou seja, para a aquisição dos equipamentos, só finalizava no dia 8 de abril, demandando alguns dias para a conclusão, declaração do vencedor, notas e envio.

Fantasma
A Polícia Federal teve acesso a troca de mensagens de todos os integrantes do grupo criminoso, inclusive do governador Wilson Lima que “manteve diálogos com o ex-secretário executivo de estado de Saúde, João Paulo Marques, com o objetivo de supervisionar a montagem do processo de compra dos ventiladores em documento”, consta. Segundo a PGR, Wilson Lima aparece como o “autor do planejamento que resultou na contratação da Vineria Adega”, cita.

Mensagens
No dia 24 de abril, o governador Wilson Lima e o secretário João Paulo Marques conversavam sobre a montagem do processo de aquisição dos ventiladores. Lima diz “No aguardo dos doc”, João responde “Ok. Correndo atrás aqui, governador. Vamos responder todos. Alguns pedindo mais prazo por conta dos documentos não estarem prontos pra apresentação aos órgãos”. Lima pergunta “Documentos foram encaminhados ao TCE?”, João esclarece “Ainda não doutor. Pegando assinatura dos gestores. Estou retirando os documentos dela que são possíveis e assinando no lugar dela”, diz.

Denúncia
Após análise de várias conversas, ficou claro para a PGR que João Paulo sob supervisão do governador Wilson Lima “embaraçaram as investigações de infração penal que envolve organização criminosa, notadamente a aquisição superfaturada de respiradores pela Fjap e Cia, assim como processos sobre contratações no Hospital Nilton Lins”, cita.

Fonte: D24am.

Leia também